Foi durante uma conversa com o jornal Daily Mail que Lindsay Lohan fez um apelo aos norte-americanos para que apoiassem Donald Trump.

“É ele o presidente, temos que nos juntar a ele. Se não conseguimos vencê-lo, juntamo-nos a ele”, disse a atriz.

Depois de várias pessoas terem questionado se a artista, de 30 anos, tinha se convertido ao Islamismo, Lindsay revelou que não, mas essa hipótese não foi descartada.

A atriz esteve num campo de refugiados na Síria e mostrou-se ainda preocupada com novas medidas de imigração. "Tinha medo do facto de ter de regressar, com tudo o que tem acontecido por causa das suas [de Trump] crenças pessoais", admitiu.

Após ter estado algum tempo na Turquia, Lindsay Lohan encontrou-se com o presidente turco, Tayyip Erdogan, e disse que ia tentar pedir a Donald Trump para visitar o país para “ver o que está a ser feito [em relação ao refugiados] e a forma como os EUA podem ajudar”.

“Seria bom para os Estados Unidos mostrarem preocupação e apoio, e que o presidente deveria ver pessoalmente como os refugiados estão a beneficiar da ajuda prestada pelos turcos," acrescentou.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.