Nome, data de nascimento e sexo

Após meses de especulação, o Palácio de Buckingham emitiu, no dia 6 de maio, um comunicado onde confirmava a notícia que todos esperavam: que Meghan Markle já estava em trabalho de parto.

Em declarações à BBC, o príncipe Harry disse estar "absolutamente radiante" com o nascimento do seu primeiro filho, um menino com 3,200 kgs, e agradece o carinho do público durante a gravidez de Meghan. "Está a ser a mais espetacular experiência que eu poderia ter imaginado", afirmou.

A Casa Real avança que o nascimento aconteceu às 05:26 e que a duquesa de Sussex contou ainda com o apoio da mãe, Doria, que esteve ao seu lado na Frogmore Cottage, dando a entender que o parto foi realizado em casa como tinha sido avançado anteriormente.

Tal como prometido, o casal apresentou o bebé ao mundo dois dias após o nascimento durante o tradicional photocall que, desta vez e contrariamente ao esperado, teve lugar no Castelo de Windsor. "Tenho os melhores rapazes do mundo. Por isso estou muito feliz", afirmou Meghan Markle aos jornalistas. "Ele tem sido um sonho por isso têm sido dois dias muito especiais."

Archie Harrison Mountbatten-Windsor foi o nome escolhido para o novo membro da família real. Uma escolha pouco tradicional e conservadora, tendo em conta que Arthur e Philip estavam entre as opções com as odds (apostas) mais altas para menino nas casas de apostas.

Recorde-se ainda que o processo de escolha do nome próprio e do meio do bebé é uma forma de homenagear um membro da família real, algo que não se verificou.

Como seria de esperar, a rainha Isabel II foi o primeiro membro da família real a ser informada do nascimento e já conheceu o recém-nascido. "Esta tarde As Suas Altezas Reais apresentaram a Sua Majestade a Rainha ao seu oitavo bisneto no Castelo de Windsor. O duque de Edimburgo e a mãe da duquesa estiveram presentes nesta ocasião especial", pode ler-se no comunicado publicado na conta oficial do casal.

Nas redes sociais foram muitas as figuras de relevo da sociedade britânica que congratularam os pais de primeira viagem.

"Parabéns ao duque e à duquesa de Sussex pelo nascimento do seu menino. Desejo-vos o melhor nesta fase feliz", publicou a primeira-ministra Theresa May.

Também Jeremy Corbin, líder da oposição, Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia, e Justin Welby, Arcebispo da Cantuária, aproveitaram o momento para deixar uma mensagem ao casal.

Anúncio

Em outubro do ano passado, a Casa Real anunciou publicamente o que há muito se especulava: que Harry e Meghan estavam à espera do seu primeiro filho em comum. "As Suas Altezas Reais agradecem o apoio que têm recebido de todas as partes do mundo desde o casamento em maio e estão encantados em poder partilhar esta notícia feliz com o público", podia ler-se.

Recorde-se que este é o oitavo neto da rainha Isabel II.

Local

De acordo com o comunicado oficial, o bebé nasceu na Frogmore Cottage, a recentemente remodelada residência do casal em Windsor. Ao optar pelo parto domiciliar, Meghan Markle segue assim o exemplo de Isabel II cujos filhos nasceram em casa: Carlos, André e Eduardo no Palácio de Buckingham enquanto que Ana nasceu na Clarence House.

É importante recordar que isto representa uma quebra na tradição real seguida por Kate Middleton e Diana Spencer que deram à luz na luxuosa Ala Wing do St. Mary’s Hospital e onde, à saída, se realizava o tradicional photo call onde o bebé era apresentado ao mundo pela primeira vez.

Recorde-se que o St. Mary's Hospital, localizado na zona de Paddington, tem uma forte ligação com a família real. Ao longo dos últimos 45 anos nasceram nesta unidade hospitalar diversos membros da realeza, destacando-se os dois filhos da princesa Ana e Mark Philips - Peter (1977) e Zara (1981) - e os dois filhos do príncipe Carlos e Diana Spencer - William (1982) e Harry (1984). Mais recentemente, o St. Mary's Hospital foi o local escolhido para o nascimento dos três filhos dos Duques de Cambridge: George (2013), Charlotte (2015) e Louis (2018).

Título

Atualmente o tratamento por Sua Alteza Real e o título real de Príncipe/Princesa está reservado para os filhos dos Duques de Cambridge, refere o programa Newsround, da BBC.

Isto porque, em 2012, a rainha Isabel II decidiu fazer algumas alterações sobre este tema face ao que tinha sido instituído pelo rei George V, em 1917: este tipo de tratamento e título só podia ser atribuído ao filho mais velho do primogénito (William) do Príncipe de Gales (Carlos), ou seja, o príncipe George.

Caso Sua Majestade decida não alargar isto ao primeiro filho dos Duques de Sussex, o bebé não será tratado por Sua Alteza Real e receberá o título de Príncipe/Princesa. Se o casal tiver um menino este deverá receber o título de Conde de Dumbarton (um dos títulos atribuídos ao pai aquando do seu enlace), se tiver uma menina esta deverá ser conhecida como Lady Mountbatten-Windsor (o apelido oficial da família real).

"Para a maior parte, os membros da Família Real que tenham direito ao tratamento HRH (Her/His Royal Highness) Princípe ou Princesa não precisam de apelido. Mas se em alguma altura for necessário, o apelido é Mountbatten-Windsor", pode ler-se no site oficial da Família Real.

Linha de sucessão

O bebé deverá ser o sétimo na linha de sucessão ao trono britânico, depois do pai, o príncipe Harry. Ou seja, à sua frente está o avô Carlos, o tio William, o segundo na linha de sucessão, seguido dos seus três filhos: George, Charlotte e Louis, respetivamente.

Como explica o The Telegraph, o nascimento do primeiro filho de Harry provocará mexidas na linha de sucessão fazendo com os dois filhos mais novos da Rainha e os seus descendentes desçam uma posição.

Presentes

À semelhança do que aconteceu com o seu casamento, os duques de Sussex decidiram prescindir dos tradicionais presentes para celebrar a chegada do seu primeiro filho. "O casal decidiu encorajar membros do público a fazer donativos para instituições de caridade que apoiam crianças e famílias carenciadas", pode ler-se na sua conta oficial de Instagram onde são listadas quatro instituições selecionadas por si.

Padrinhos

Tendo em conta a importância dos tios na vida familiar, o mais provável é que o casal não convide Kate Middleton e o príncipe William para padrinhos. Como refere a revista People, por norma este papel "cabe a amigos dos pais ou parentes não tão diretos" da criança. Jessica Mulroney, Serena Williams, Charlie Van Straubenzee ou Tom Inskip são alguns dos nomes de que se fala.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.