Humberto Carrão quer ver Jair Bolsonaro atrás das grades e não o esconde. O ator, apresentador, realizador e guionista carioca de 29 anos, que integra o elenco da telenovela brasileira "Amor de mãe", exibida pela SIC, é um forte contestatário do atual presidente do Brasil e, no dia em que o país ultrapassou pela primeira vez a barreira dos três milhares de mortos num só dia, com 3.158 óbitos confirmados, manifestou a sua indignação nas redes sociais. "Prisão para o genocida", pede o artista.

Não, foi, no entanto, a primeira vez que o fez. No passado dia 10, depois de se saber que o Brasil tinha registado 2.349 mortes em apenas 24 horas, Humberto Carrão já se tinha insurgido publicamente. A pandemia viral de COVID-19 que tem assolado o mundo tem tido consequências devastadoras no país, que já soma 12,1 milhões de casos e mais de 299.000 mortes. Nas redes sociais, para além de muitas críticas a Jair Bolsonaro, também têm sido muitos os apelos ao confinamento que o ator tem feito.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.