Como surgiu o negócio?
Surgiu a partir de uma brincadeira. Tudo começou pelos bolos: sempre fui apaixonada por confeccioná-los mas decorá-los era realmente o que gostava. Na minha cidade (Guimarães) onde vivi até aos 18 anos, não havia ainda nenhum espaço onde pudesse aprender a decorar os bolos tal com via em alguns sítios, na altura diziam que faziam tudo em maçapão. A curiosidade era enorme, e um dia, já a morar em Lisboa, ofereci um bolinho a uma vizinha, decorado de forma muito simples, que me diz que devia ir à escola da sobrinha fazer um workshop de bolos decorados. Tudo começou nesse dia… Depois desse bolo, fiz muitos outros até chegar aos “masters” das grandes escolas americanas e inglesas. Começou por ser uma coisa para amigos, depois para amigos dos amigos e depois, fomos ficando mais pelo mundo nupcial, que é de facto o que mais me fascina e me dá mais prazer. Uma coisa acabou por levar à outra, naturalmente!

Quantos casamentos organiza por ano?
Comecei a sério em 2010 no mundo das noivas. Nesse ano, realizei apenas uns 6 ou 7 casamentos. No passado ano de 2011 realizámos mais de 30 e este ano, estão planeados cerca de 60.

Quando todos falam de crise, isto tem lugar nos casamentos?
De uma forma ou de outra, tem sempre. No geral, os noivos que querem mesmo casar e que chegam até nós, não dispensam o requinte com que sonharam. É grande moda fazer cerimónias mais pequenas e intimistas, apenas com casamento pelo civil, mas em espaços de grande luxo. Já nos casamentos religiosos, quem quer um grande casamento, tem à mesma. Penso que, as pessoas tentam poupar nos pequenos pormenores, mas o que tem acontecido imenso, é que a uma semana do casamento, decidem que afinal querem mais um ou outro pormenor. Ou seja, acho que as pessoas poupam noutras coisas, para ter o seu grande dia.

Em média quanto gasta um casal para uma cerimónia dita normal?
É sempre mais fácil falar em preço por pessoa, que pode ir dos 60€ para quem quer uma quinta mais acessível, sem cerimónia religiosa, sem decor floral, sem bolo personalizado, etc... até ao preço que se desejar. Nesse sentido o céu é o limite… Falando em preço médio, para um bom local, já com um bolo de noiva personalizado, fogo-de-artifício, flores, cozinha de autor, animação, etc... está, hoje em dia, a partir dos 120€por pessoa (falando na zona de Lisboa).

Saiba mais na página seguinte

Qual o casamento mais barato e mais caro que organizou?
O mais caro ficou por 650 euros por pessoa e o mais barato 60 euros por pessoa.

Já preparou o casamento de alguma celebridade?
Sim, de pessoas importantes no País. Donas de muitas coisas e com grande poder de compra. São as pessoas mais fáceis de trabalhar normalmente. Porque para além do dinheiro que têm, e do bom gosto, deixam tudo nas nossas mãos. É fabuloso!!! Nomes, não posso revelar… Quando vamos para o campo dos famosos, as coisas são já diferentes, pois tudo é uma troca: oferecemos para ter visibilidade numa revista, num programa, etc...

O seu staff é composto por quantas pessoas?
No dia-a-dia normal (que para nós é apenas segunda e terça-feira) sou apenas eu que faço tudo, nos restantes dias da semana podemos chegar às 6 pessoas.

Onde procura inspiração para as diferentes cerimónias?
Nas longas conversas com os noivos. Pergunto, oiço, anoto... Durmo sobre as ideias e tudo surge e flui naturalmente! Procuro em cada um o mais íntimo detalhe para poder dar-lhes aquilo com que sempre sonharam, e se no dia ainda lhes puder proporcionar surpresas, fico ainda mais completa.

O que está in e out nos casamentos?
In: mesas corridas, bolos de andares, decor vintage/
Out: mesas quadradas, bolos simples, decor moderno

Qual o casamento que organizou mais memorável e porquê?
O de uma noiva angolana o ano passado. Porque deixou nas minhas mãos cada detalhe. No dia seguinte, a minha campainha tocou, e em lágrimas ali estava ela para me abraçar e dizer obrigada. Ficará sempre no meu coração cada gesto desta noiva.

Qual foi até agora o maior desafio?
No caso dos bolos, fazer uma “Tour Eiffel” toda comestível e com 80 cm de altura em 4 horas.No que toca a planeamento e fazer acontecer, preparar todo um casamento em 4 dias.

Considera este trabalho um trabalho de sonho?
Sem dúvida nenhuma. É maravilhoso poder fazer parte do sonho da vida de alguém. Vivo cada casamento como se fosse uma cerimónia minha. Tento dar tudo de mim e tudo o que posso. Muitas vezes, esqueço o grande facto de que existe um orçamento e dou por mim a fazer mais isto, mais aquilo e mais outra coisa. Tudo tem que ficar completo e em sintonia.

É uma pessoa muito multifacetada. Como gere tudo e de que forma estes aspectos se complementam?
Sim! Preferia não ser. Costumo dizer que é uma doença!!! Não é fácil, mas gere-se. Muitas vezes não dormindo, não comendo, pedindo ajuda, subcontratando, desmultiplicando esforços, enfim... mas gerir com o coração torna tudo mais fácil e assim complementa-se cada evento com perfeição.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.