Recentemente, a filha adotiva de Woody Allen veio mais uma vez denunciar o cineasta publicamente por agressões sexuais quando ainda era criança. As declarações foram dadas ao programa da CBS - ‘This Morning’, no qual Mia Farrow descreveu o que se passou em agosto de 1992, quando tinha apenas sete anos.

Após a entrevista, Allen enviou um comunicado a todos os meios de comunicação afirmando que as alegações eram falsas. O mesmo acusa a ex-mulher de ter inventado a história e de a ter ‘plantado’ na menina. “Moses, o irmão mais velho de Dylan, já disse que testemunhou a mãe deles a fazer exatamente isso (…) a tentar incutir nela a imagem de que o pai era um perigoso predador sexual”, defende o realizador.

De recordar que na altura dos alegados abusos, Mia e Allen já não estavam juntos. Consta que após 13 anos de relacionamento, a ex-mulher descobriu fotos da sua outra filha adotiva, Soon-Yi Previn, nua, no apartamento dele. Ao que parece, o cineasta andava a encontrar-se às escondidas com a jovem, algo bastante explorado pelos tabloides.

Mesmo descrevendo os abusos sempre da mesma maneira há anos, uma ama que estava em casa quando ocorreu o crime garante que a menina não ficou mais de cinco minutos longe da sua vista. Perante a fragilidade das provas, Allen acabou por não ser condenado pelo juiz, contudo foi impedido de visitar os seus três filhos.

Agora resta esperar para ver como decorre o processo desta vez.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.