Foi em conversa com a Bustle que Demi Lovato falou abertamente sobre os distúrbios alimentares assim como a dependência das drogas que a levaram a sofrer uma overdose em 2018.

"Costumava ter pessoas a controlar-me na noite anterior a uma sessão fotográfica para ter a certeza que eu não comi demais e não ficava inchada no dia seguinte", lembrou a artista, afirmando de seguida que "agora o mundo está completamente diferente".

"Não me preparo para uma sessão de fotografias", confessou, destacando o facto de agora poder comer o que quiser.

Sobre a pandemia, que adiou os seus planos do lançamento do novo álbum e da digressão, a cantora tem aproveitado esta pausa forçada para "trabalhar em si".

"Não estava em reabilitação, estava cá fora, no mundo, com a Netflix. [...] Foi-me dada essa oportunidade", diz Lovato referindo-se à quarentena. "Fiquei do género: vou-me adaptar, vou mudar, vou aprender com isto", acrescentou.

Mais à frente, Demi destacou que "quer uma carreira que não tenha nada a ver com o seu corpo". "Quero que tenha a ver com a minha música, as minhas letras e a minha mensagem. Quero uma carreira duradoura pela qual não precise de mudar. A música trouxe-me muita alegria quando eu era mais jovem, e perdi essa alegria com toda a agitação da indústria da música. Fiquei infeliz. E nunca mais quero que seja assim", realçou.

Leia Também: Demi Lovato declara-se ao seu amor após a morte do avô

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.