O rei Felipe VI subiu ao trono espanhol em 2014, para suceder o pai, rei emérito Juan Carlos, e desde então que o seu (curto) reinado já ficou marcado por algumas polémicas familiares.

A mais recente deu-se há poucos dias, ao renunciar a herança do pai e retirar-lhe a pensão. A decisão foi tomada na sequência de notícias que dão conta de que Filipe VI é o beneficiário de uma empresa offshore, criada por Juan Carlos quando ainda era soberano.

Para trás ficaram outras 'crises'. A primeira delas em 2015, quando o rei exercia funções há cerca de um ano. Felipe VI retirou o título de duquesa de Palma à sua irmã Cristina pelos problemas judiciais que esta e o marido, Iñaki Urdangarin, enfrentaram no âmbito do caso Nóos.

Além de problemas legais, as conturbadas relações da família real espanhola não são novidade, mas tornaram-se mais evidentes com um episódio protagonizado pela rainha Letizia e a sogra, rainha emérita Sofia, na Páscoa de 2018. Um desentendimento em público fez com que Felipe VI tivesse de intervir para separar a esposa e a mãe.

Já no início deste ano, voltaram a destacar-se as diferenças entre os membros da família com um comentário de Juan Carlos sobre a nora, Letizia. O rei emérito referiu-se à mulher de Felipe VI como "o pior que entrou na casa [real]" e as suas palavras, expressadas num convívio entre amigos no Palácio da Zarzuela, em Madrid, tornaram-se virais.

Leia Também: Rei de Espanha renuncia à herança do pai e retira-lhe a pensão

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.