Já depois de ter estado no 'Dois às 10', da TVI, Jéssica Gomes esteve à conversa com os jornalistas sobre a saída do 'Big Brother'. A jovem garantiu que não ficou "desiludida" com a expulsão. Aliás, diz, "já estava à espera".

A relação com Miguel foi um dos destaques e Jéssica afirmou que apenas via o concorrente como um amigo. "Quando estava lá dentro pensei que ao ser uma pessoa carinhosa podia ser mal interpretada cá fora", confessou, acrescentando que optou por apenas pensar no que estava a viver dentro da casa mais vigiada do país e não no que se passava cá fora.

"A minha consciência está mais do que tranquila, sei exatamente quais são as minhas intenções. Gosto muito do Miguel como amigo, mas segundas intenções nunca existiram", afirmou.

Sobre a relação de Miguel com Bárbara Parada, Jéssica acredita na 'química' do casal. "Logo no início o Miguel veio falar comigo e disse que a Bárbara tinha entrado para o desestabilizar. Logo de início ele já tinha gostado da Bárbara. E ela é super frontal, eles identificam-se, são os dois do desporto, faz todo o sentido", partilhou, apoiando ambos.

Jéssica admitiu que o ambiente dentro da casa "não está o melhor", partilhando que os concorrentes gostam muito uns dos outros, o que torna tudo mais difícil. Isto porque "chega a um ponto do programa em que as pessoas têm de tomar partidos e têm que atribuir coisas menos boas uns aos outros". E se não fosse assim, lá dentro seria como "um campo de férias".

A dada altura, falou também da mãe, Patrícia, que continua na casa mais vigiada do país. Sobre a progenitora, disse que a mesma está "desgastada e cansada".

"Não é fácil estar na posição em que ela está. Neste momento, tenho mesmo que dizer: viva a liberdade de expressão. Realmente, a verdade dói e quando é dita, os impactos chocam um bocadinho. Muitas das vezes o que está a ser dito é verdade e pegam sempre por algo menos positivo", acrescentou, defendendo a mãe com 'unhas e dentes' e pedindo para que não se use a palavra "agressiva" para descrever a forma como Patrícia se expressa. "Agressividade é uma palavra muito forte e feia. Agradecia que não falassem nesses termos".

Jéssica salientou também que neste momento vê a mãe com um comportamento diferente, e contou que Patrícia confidenciou que "não queria falar mal para ninguém". "Disse-me que estava cansada. Não estava ali para magoar ninguém, mas para opinar sobre aquilo que lhe é proposto".

E será que Patrícia vai agora aguentar-se dentro do 'BB' após a saída da filha? "O que se vai passar com a minha mãe ou é muito bom ou muito mau – ou a minha mãe não aguenta porque perdeu o seu ponto forte lá dentro, no sentido de eu ser a pessoa a quem recorria porque a relação de mãe e filha ninguém tira, ou consegue arranjar força para se conter em algumas situações e acalmar-se. Quando estamos cansados temos sempre tendência a chorar, a dar a parte fraca, que é o que tem acontecido. Ou corre muito bem ou mal. Pedi para ela ficar mais uma semana e ver como corre, e se não fosse bom para ela então saia", respondeu.

Questionada sobre se ficou desiludida com alguém dentro da casa, Jéssica partilhou que ficou desiludida com "atitudes" de Miguel e de Rúben Boa Nova, como quando este colocou os óculos de sol durante a gala.

"Tem qualquer coisa na Patrícia que a incomoda. Eu até não posso olhar para ela que a incomoda. Mas eu acho que já arranjo solução. Tenho aqui uns óculos de sol, meto os óculos e assim não há problema nenhum. Posso estar a olhar à vontade que já não há grandes problemas”, disse Rúben Boa Nova durante a gala.

Aos jornalistas, Jéssica também garantiu que sente que nada foi "manipulado pela produção", falando de si. "Pelo contrário, apoiaram-me muito lá dentro", frisou. No entanto, agora que saiu da casa é que vai ter uma melhor perceção sobre se houve "pessoas que foram levadas ao colo".

Falando da sondagem semanal na rede social do 'BB', Jéssica apenas questionou o facto de o resultado por vezes não 'bater certo' com as pessoas que são salvas nas galas, reflexão que surgiu depois de ter conversado com o namorado. Ainda assim, não deixa de reconhecer que a rede social não é tão "abrangente".

Jéssica acha que Miguel tem fortes probabilidades de vencer esta edição do 'Big Brother', mas não deixa de partilhar que gostava que o prémio fosse para Bernardo ou para a mãe, Patrícia.

Agora a jovem vai aproveitar para descansar e estar com as pessoas que mais gosta. Não deixa de confessar que gostava de ter uma oportunidade em televisão, mas a maior conquista é "ter palco para expressar aquilo em que acredita".

Ao falar do namorado, Tomás, realçou: "Acho que ele gostou da minha prestação". A agora ex-concorrente partilhou também que mantém uma relação amorosa há 11 meses, apesar de conhecer o companheiro há muito tempo, pois eram amigos.

Ainda dentro da casa, destacou a intenção de casar-se com Tomás. No entanto, explica, não é um desejo que será cumprido a curto prazo. Primeiro vão viver e desfrutar desta fase de namoro. Ainda não vivem juntos, e para já prefere seguir o 'ditado': "Vamos indo e vendo".

Jéssica também falou sobre os seus sonhos que, diz, são muitos. Destacando alguns dos gostos, como a representação, pintura ou maquilhagem, e uma coisa está certa: não vai deixar enfermagem em 'stand by'. A jovem vai agora regressar às aulas, tentar recuperar a matéria em atraso, e deixará esta área para "segundo plano" caso tenha outras oportunidades.

Questionada já no fim da conversa sobre o que lhe disse Cristina Ferreira após sair do 'BB', uma vez que a mãe, Patrícia, pediu à apresentadora para tomar conta da sua menina, Jéssica contou: "Disse que eu estava bem entregue. A Cristina foi muito simpática, muito meiguinha".

Leia Também: 'Big Brother': Jéssica expulsa, 4 nomeados e o regresso do líder Miguel

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.