Pela primeira vez em meio século, no domingo dia 1 de maio de 2016, um navio de cruzeiros saiu de Miami em direção à ilha de Fidel Castro. Há quem diga que Cuba está a mudar e que o fim do embargo dos Estados Unidos da América vai fazer com que a ilha perca a sua identidade. Será? Pelo sim, pelo não, se não está neste momento a pensar ir a Cuba, reveja as suas opções, mude de ideias e vá o quanto antes.

Vai encontrar um país de gente simpática e alegre, onde a música está por todo o lado, como se fosse a banda sonora de uma película que faz dançar até mesmo o maior pé de chumbo. Entre uma aula de dança num bar ou na rua, os cubanos estão sempre prontos a ensinar uns passinhos de salsa ou de reggaeton. Entre na onda. Havana é especial, mas não se fique por aí…

Alugue um carro e descubra o país todo. De Havana a Santiago, passando por Trinidad e pelas praias de areia branca dos Cayos, as pequenas ilhotas paradisíacas, acabando em Camaguay e Cienfuegos. Cuba marca quem por lá passa. Por isso, não se admire se, no dia da partida, lhe custar entrar no avião e deixar para trás um país que parece ter parado nos anos das décadas de 1950 e 1960, mas cuja transformação está latente.

Este é o roteiro que lhe sugerimos para uma estadia de descoberta e de encantamento:

- Havana

Edifícios de estilo barroco, art deco e colonial de várias cores, recuperados ou não, fazem de Havana Vieja a parte mais cativante da capital cubana, que ostenta o selo Património da Humanidade pela UNESCO. Percorra as ruas que ligam as quatro praças que marcam a cidade e a viram crescer, como é o caso da Plaza de las Armas, da Plaza de la Catedral, da Plaza Vieja e da Plaza San Francisco de Asís.

Sem rumo completamente definido, vá parando nos locais que chamarem a atenção e vá trocando dois dedos de conversa com os cubanos. Há locais obrigatórios como a Bodeguita del Medio para beber um mojito, como fazia Hemingway, ou um daiquiri no El Floridita. Outros pontos de paragem obrigatória são a Fábrica de Arte, uma espécie de centro cultural com exposições, concertos e demais atividades artísticas.

Inclua também no seu roteiro a casa da UNEAC (Unéon de Escritores e Artistas de Cuba), que organiza serões literários e musicais e que é ponto de encontro dos artistas cubanos, assim como o Gato Tuerto, um night club que lembra outras épocas. No que a museus diz respeito, aconselhamos o Museu de Arte Colonial e o Museu do Rum, um dos ex-líbris da ilha.

Ao pôr do sol, todos os caminhos vão dar ao Malecon, a marginal de Havana, onde os jovens se encontram para tocar e dançar com aquele ritmo que só os cubanos conseguem ter. Nas proximidades de Havana, há 15 quilómetros de areal, as chamadas Praias do Leste para quem quer experimentar o mar das Caraíbas.

Como cidade efervescente que é, Havana foi eleita pela Chanel para o seu defile da coleção Cruise, o primeiro na América Latina, no dia 3 de maio de 2016. Isto porque a riqueza cultural da cidade é uma fonte de inspiração para a marca e para o seu diretor criativo, Karl Lagerfeld.

Cuba livre… apesar de presa a uma mística sedutora!

Veja na página seguinte: Outras paragens de Cuba a incluir no seu roteiro

- Cienfuegos

Apelidada «La perla del sur», «a pérola do sul», destaca-se pela bonita baía e pelo seu centro histórico, declarado Património da Humanidade pela UNESCO, que lembra a presença francesa nesta zona da ilha. Para o atestar, não falta sequer um Arco do Triunfo. Mas não se fique pela cidade.

Na serra de Escambray, visite El Nicho, que tem inúmeras quedas de água. A Cueva Martín Infierno, uma gruta de grande beleza natural, também deve fazer parte dos seus planos para uma estadia da ilha.

- Camaguey

É uma cidade labiríntica e o seu centro histórico colonial é o maior da ilha, sendo também património da Humanidade pela UNESCO. É conhecida pelas várias igrejas católicas e pelos tinajones, potes que armazenavam água quando esta escasseava por estes lados. A sua praia mais famosa é Santa Lúcia e vale o desvio.

- Trinidad

O casario de tipo colonial, as palmeiras e as praças. Tudo parece ser feito à medida em Trinidad, considerada uma cidade museu. À noite a essa beleza arquitetónica, junta-se a alegria de viver dos cubanos, que na Casa da Música, mostram como se dança. Já fora da cidade, que está situada entre plantações de cana açúcar e o Vale de los Ingenios.

Para quem gosta de caminhar, recomendamos Topes de Collantes, enquanto os apreciadores de praia tem de se demorar na Ancon. Em Santa Clara, é possível ver o Museu Memorial, dedicado ao herói da revolução cubana, o mítico Che Guevara.

- Cayos

São várias as ilhas paradisíacas que se estende em redor da ilha de Cuba. Cayo Largo e Cayo Coco são as mais conhecidas e valem mesmo a visita. A primeira é considerada um dos melhores locais para fazer mergulho e outras atividades náuticas, sendo ainda casa do Criador de Tortugas, uma reserva de conservação e preservação de tartarugas.

Já Cayo Coco é uma das maiores. Tem 22 quilómetros de praias de areia branca, finíssima e água quente. A praias Pilar, a Flamenco e a Prohibida são as mais bonitas.

Cuba livre… apesar de presa a uma mística sedutora!

Veja na página seguinte: Onde comer e onde ficar

- Santiago de Cuba

Dizem que é a cidade mais caribenha de Cuba e tem uma banda sonora própria, que jamais se apaga nas ruas. Quem gosta de dançar tem de ir ao Cabaret Tropicana Santiago. Se quiser saber mais sobre a presença hispânica deve visitar a Casa do Governador, que dizem ser a mais antiga de origem espanhola na América Latina e que hoje alberga o Museu de Ambiente Hispânico.

Perto de Santiago de Cuba, situa-se o Parque nacional de Baconao, uma das mais belas Reservas Naturais do país. Alberga o Vale da Pré-História, o Museu do Transporte Terreste, a Laguna Baconao e o Jardim de la Gran Piedra. Quatro atrações a não perder por nada…

Onde comer

Cuba é conhecida pelos paladares, restaurantes em casas privadas. Estes são alguns dos que sugerimos:

- Doña Eutimia

Um paladar para comer a verdadeira comida crioula. O prato mais conhecido é a ropa vieja, carne temperada com alho, tomates e especiarias, acompanhado com arroz branco e feijão.

- El Cocinero

É outro paladar, por sinal, um dos mais trendy de Havana. Prove as tapas de polvo com alho.

- Coppelia

Dizem que é a maior gelataria do mundo, com lugar para mil pessoas.

Cuba livre… apesar de presa a uma mística sedutora!

Veja na página seguinte: Como ir e onde ficar

Onde ficar 

O que não falta em Cuba são hotéis, mas se quiser uma experiência mais autêntica arrende um quarto numa casa particular. Se prefere um hotel, sugerimos-lhe dois:

- Iberostar Parque Central

Situado no centro da cidade, está perto das principais atrações de Havana. Preços a partir de 134 € por noite.

- Meliá Cayo Coco

É um hotel só para adultos e tem quartos na linha da praia e bungalows sobre estacas num lago. Preços a partir de 200€ por noite melia.com

Como ir

Não há voos diretos de Portugal para Havana, mas companhias como a KLM e a Air France voam para a capital cubana, com escalas em Paris e Amesterdão. Preços a partir de 751 €.

Informações úteis:

- Dinheiro

A moeda do país é o peso cubano, mas os estrangeiros usam o peso cubano convertible que equivale, em média, a cerca de 0,89 €.

- Visto

Para viajar para Cuba, é necessário um visto de turismo. O passaporte deve estar válido no mínimo nos seis meses seguintes

- Deslocações

Nas cidades maiores, o Cocotaxi é uma das formas de transporte mais recomendadas. Apesar de barulhentos, tendem a ser mais baratos doque os táxis tradicionais.

Cuba livre… apesar de presa a uma mística sedutora!

Texto: Rita Caetano com Luis Batista Gonçalves (edição internet)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.