Alguns nascem com muita; outros gastam-na depressa demais. Mas todos nós ao longo da vida somos acompanhados de uma dose de boa sorte e má sorte. Porque é que não tenho sorte em coisas importantes, como ficar rico ou encontrar o amor da minha vida? Faça antes a pergunta ao contrário: onde é que eu tenho gasto a minha boa sorte?

O Feng Shui é uma arte oriental milenar utilizada para gerir energia. A energia de uma casa, de uma cidade ou de um individuo. E é dentro do contexto do Feng Shui que este artigo é escrito. Um dia depois de correr com a minha namorada disse-lhe: todos nós temos uma dose de boa sorte e má sorte. Convém que a sorte seja gasta em coisas importantes e que a má sorte se perca com coisas menores. Grande ideia, respondeu a minha namorada. Passaram já alguns meses. Acabei também de correr à minutos. E, para minha sorte, tinha o PC comigo. Podem acreditar que raramente o levo para algum lado!

O que é que são coisas menores? Em que deve gastar a sua má sorte? Por exemplo, partir um prato, é um exemplo clássico. É bom que as suas “sombras” se percam em loiça partida, em sapatos rotos e em pequenos desastres materiais. Até há quem decida partir loiça para descontrair! Veja lá!

Veja na próxima página a continuação do artigo.

Em que é que não deve gastar a sua boa sorte? Em muitas coisas. Muito importante: evite todos os chamados jogos de sorte: lotarias, roletas, etc. Quando está a utilizar o aleatório para conseguir um bem material está a gastar a sua sorte em vão. Pense nisto. O trabalho vem da terra, a sorte vem do céu e o céu vem de si. No entanto, faça a sua parte. Não fique sempre a contar com a protecção do universo. Ou seja, não deixe o carro destrancado porque julga que tem sorte, não vá para sítios que sabe que pode ser assaltado, por exemplo. Pois enquanto o universo está ocupado a protegê-lo destas situações, pode já não haver tanta força quando for à entrevista de emprego da sua vida. Já tinha pensado nisto? Anjo da guarda, boa sorte ou bom feng shui: tantos nomes para uma só coisa – a força do seu caminho de vida.

Quando é um viajante à procura do tesouro que o universo plantou em si, aí haverá boa sorte. Entre a fome, o frio e a incerteza, todos os que vão atrás do seu verdadeiro sonho estão a alimentar a sua boa sorte. Porque o universo sopra a favor dos sorrisos!

A boa sorte está na sua noção de infinito. Quando penso que tudo depende de mim é como estar equilibrado num só pé: se ele falhar eu caio. No infinito existem mil pés que me suportam. Quando eu considero o infinito, o universo é uma aranha em que os seus mil pés podem servir de apoio. Isto é considerar que tudo é interdependente: que um homem sentado num escritório pode decidir o destino de uma criança no Alasca e que todos nós podemos fazer alguma coisa pelo mundo.

Veja na próxima página a continuação do artigo.

Ter sorte ao jogo e ao amor é complicado, já diz o ditado. O dinheiro não enche corações e o amor não paga contas. Mas entre os dias em que este mundo acaba para nós – na morte – existe apenas a memória daquilo que tornamos eterno através do amor, aí sim eu fui abençoado. Porque o amor não se paga, não se ganha nem se deve a ninguém. É talvez a única coisa que existe quando “eu me for embora”. Já pensou?

Voltando à boa sorte. Todo aquele que está de acordo com o universo à sua volta é empurrado pelo seu fluxo. Quando estão cinquenta mil pessoas à minha volta a gritar, é mais fácil ser assim. Quando chove é melhor ficar em casa. Quando as plantas nascem na Primavera também nós devemos iniciar alguma coisa. Quando o sol do Verão ilumina todas as coisas também nós devemos dar-nos a conhecer aos outros. Quando no Outono tudo se retrai e os homens do campo colhem o trigo também nós devemos concluir aquilo que semeamos. Quando no Inverno os animais hibernam também nós devemos olhar para dentro de nós. Aja de acordo com o universo à sua volta. Aprenda a ouvir os seus sinais. No início a natureza empurra, depois testa, por fim retribui. Seja paciente. Vale a pena esperar.

Boas acções: aí está a última recomendação para quem pretende aumentar a sua boa sorte. Pessoas boas são abençoadas. Mesmo que demore mil vidas. Mas tudo retorna. Por outro lado, tudo o que sejam acções ou profissões que contribuam para o mau-estar dos outros é uma forma de aumentar a sua má sorte ou mau Karma.

A sorte está nos pensamentos, nos sentimentos, no que diz, no que faz, no que come, na posição onde se senta e na projecção dos seus sonhos. Mas não está em lado nenhum. No entanto, quando não souber o que fazer ouça o seu coração. Ouça a voz do seu “anjo da guarda”. Não é uma voz racional, maas ela fala no seu caminho de vida e na alegria que sentia em criança quando acreditava que havia um menino ou menina que podia ser feliz assim: para sempre!

Boa sorte.

Jorge Santos

  Jorge Santos orienta workshops, consultas e pequenos cursos de Feng Shui. Conheceu o Feng Shui enquanto frequentava um Curso de Medicina Tradicional Chinesa entre 2006 e 2007. A partir daí realizou o Curso Elementar de Feng Shui (20072008), o Curso Profissional de Feng Shui (20082010) e o Exame de Consultor Profissional de Feng Shui (2010). Estudou na Escola Nacional de Feng Shui associada ao Instituto Macrobiótico de Portugal. Trabalha em parceria com alguns centros de terapias na zona de Lisboa.

Contactos:

TLM: 964 351 581

Mail: mail@tigrebranco.com
Site: www.tigrebranco.com

Sugestões:

Curso Anual de Feng Shui em Lisboa (início em Outubro)
Curso de Introdução ao Feng Shui em Lisboa (a 3 e 11 de Julho)
Consultas de Feng Shui

  Coordenação de Conteúdos:  Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt

Veja o programa SAPO Zen   zen.sapo.pt

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.