Robert Wadlow nasceu a 22 de fevereiro de 1918, aparentemente como um bebé normal e saudável. Ninguém imaginava, na altura, que atingiria, pouco mais de duas décadas depois, os 2,72 metros, convertendo-se no homem mais alto do mundo. O seu crescimento extraordinário terá tido origem na hiperatividade de uma glândula pituitária, um problema de saúde que o levou a crescer a um ritmo impressionante, logo após o nascimento.

Aos cinco anos, o norte-americano já media de 1,63 metros e já vestia roupa para adolescentes com 17 anos. Três anos mais tarde, ultrapassou o próprio pai, atingindo os 1,87 metros e os 90 quilos, como se pode ver nas fotografias raras que foram agora divulgadas e que pode ver na galeria de imagens que se segue. Apesar do tamanho, os pais de Robert Wadlow tudo fizeram para que a sua vida fosse o mais normal possível.

Não era, contudo, fácil para uma criança com o seu tamanho participar nas atividades regulares. Tinham que ser feitos sempre alguns ajustes, nas roupas e nos equipamentos utilizados. Aos 13 anos, tornou-se o escuteiro mais alto do mundo. A sua farda, mais uma vez, teve que ser feita à medida. A tenda e o saco-cama que levava para os equipamentos também tiveram de ser modificados para ficarem de acordo com a sua estatura.

Aos 18 anos, quando atingiu os 2,53 metros, bateu o recorde de homem mais alto do mundo. No entanto, nessa altura, Robert Wadlow já não era saudável. A sua condição provocava-lhe fraqueza e falta de sensibilidade nas pernas e nos pés, necessitando de muletas e de uma bengala para se deslocar. A 15 de julho de 1940, quando já media 2,72 metros, morreu no seguimento de uma infeção generalizada. Tinha 22 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.