Passa mais tempo a "falar" com os seus amigos online do que a conhecê-los na realidade?

Um estudo publicado pela marca italiana de bebidas Martini revelou que 38% dos jovens belgas adultos estão nesta situação. Além disso, 46% deles dizem que querem passar mais tempo com os seus amigos.

De acordo com este estudo, que foi realizado a jovens na Bélgica, Alemanha, Itália e Espanha, esta tendência é característica das relações modernas.

A evolução da tecnologia permitiu-nos entrar mais facilmente em contacto com os nossos entes queridos. Mas, por outro lado, criam uma ilusão de proximidade e faz com que não passemos tempo real com eles.

Este novo estudo mostra que estes contactos virtuais regulares tendem a minimizar os momentos reais passados com os nossos entes queridos e que podem até chegar a eliminá-los completamente.

- Um terço dos participantes (38%) passa mais tempo a conversar com amigos online do que na vida real.

- 52% gastam entre duas e cinco horas por dia a fazer scroller na lista dos seus contactos nas redes sociais.

- Quase um terço (30%) acredita que é mais difícil encontrar-se pessoalmente com os seus amigos desde o aparecimento das redes sociais.

- 35% aprendem mais sobre os seus amigos seguindo-os nas redes sociais do que na vida real.

- 26% admitem que se sentem mais isolados desde o aparecimento das redes sociais.

Mudar de cidade (ou país) por motivos de trabalho ou educação pode ser fatal para as nossas amizades, especialmente para as que começaram na infância. Este cenário é particularmente relevante na Bélgica, onde a distância física é uma ameaça para as amizades mais íntimas.

- Na Bélgica, a popularidade do programa de intercâmbio Erasmus aumentou 80% entre os anos de 2017 e 2017/2018.

- Entre 2012 e 2016, existem mais de 440.000 belgas adicionais que vivem e/ou trabalham fora do seu país.

- Mais da metade (56%) dos entrevistados veem os seus amigos menos do que antes.

- Mais da metade (54%) dos entrevistados não veem os seus amigos de infância.

- "Não mora no mesmo bairro" é uma das três razões pelas quais é mais difícil passar tempo com amigos (29%).

- Um quarto (23%) indicou que a mudança para o trabalho criou tensão entre amigos.

Os desafios da amizade moderna são diversos. Muitos estudos científicos mostram que as interações humanas individuais são um pré-requisito para uma boa saúde. O estudo conduzido pela Martini quis aprofundar a pesquisa determinando como estas interações sociais afetam a nossa felicidade.

- Em todos os países estudados, "rir com os amigos" deixa as pessoas mais felizes. Esta escolha foi feita a partir de 19 opções, como "casar" ou "atingir um objetivo profissional".

- Na Bélgica, um em cada três (61%) concorda que passar tempo com os amigos faz com que eles se sintam mais enérgicos, mais seguros e mais positivos.

- Quase metade (45%) considera apenas cerca de dez pessoas como amigos.

- Três quartos (75%) têm pelo menos 5 pessoas consideradas "bons amigos", indicando uma preferência por pequenos grupos.

Em todos os países estudados, a "confiabilidade" foi escolhida como a primeira qualidade de um amigo, ressaltando a importância do papel do apoio emocional.

O estudo concluiu que os consumidores estão a enfrentar uma socialização da crise global. Os obstáculos são muitos e destaca a importância dos contactos interpessoais, tanto para a nossa felicidade quanto para o nosso bem-estar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.