“O volume do dinheiro que virá para Portugal, entre 30 a 35%, é obrigatoriamente dedicado ao combate às alterações climáticas e, ao dizer isto, não me estou a antecipar a nada que o Governo não vá apresentar nos próximos tempos, mas 8 a 9 mil milhões de euros terão de ser dedicados ao combate às alterações climáticas”, disse João Pedro Matos Fernandes.

O ministro falava na abertura do segundo dia da conferência virtual Portugal Mobi Summit, que decorre em versão digital a partir de Cascais até sexta-feira, sob o tema “Mobilidade num Mundo em Mudança”.

“[No anterior quadro comunitário], o apoio foi de 2,3 mil milhões de euros. A diferença é esta, trata-se do triplo no mesmo período de tempo, naturalmente que a mobilidade vai ser responsável por uma fatia muito expressiva deste investimento”, disse Matos Fernandes.

Já em setembro, numa conferência virtual sobre “Novos Dilemas da Sustentabilidade”, o ministro defendeu que a União Europeia, para ser consequente com a aposta no “Pacto Ecológico”, devia aplicar 30% a 35% do esforço de recuperação da Europa no combate às alterações climáticas.

João Pedro Matos Fernandes salientou a importância do momento atual para se investir numa nova economia, não só na União Europeia, mas também em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.