O ideal é começar a introduzir o tema por volta dos três anos, quando as crianças começam a perceber que o mundo está cheio de coisas interessantes que querem experimentar. Por isso, é fundamental começar a explicar-lhes que o dinheiro não nasce nas árvores e que não é um recurso ilimitado.

Mais tarde, e já na idade da escolaridade básica, pode introduzir novos conhecimentos. Consoante a maturidade e os conhecimentos da criança, pode atribuir-lhe uma semanada a partir dos cinco ou seis anos, idade em que já sabem contar e fazer contas básicas. Uma vez familiarizadas com números e contas, podem começar a aplicar os ensinamentos na gestão do seu próprio dinheiro.

Quanto devo dar?

O montante que deve dar ao seu filho vai depender da idade e do tipo de despesas que ficarão a cargo dessa semanada/mesada. Este pode servir para alguns prazeres – como doces, lanchar com os amigos ou uma compra mais a longo prazo, como um jogo, por exemplo.

O importante é estabelecer quais são as despesas que vão ficar ao encargo da criança para poder definir o valor que achar mais adequado.

Por exemplo:

  • Aos 6 anos: 1 euro por semana (total mensal = 4 euros)
  • Aos 7 anos: 2,6 por semana (total mensal = 10,40 euros)
  • Aos 8 anos: 3 euros por semana (total mensal = 12 euros)
  • Aos 9 anos: 4 euros por semana (total mensal = 16 euros)
  • Aos 10 anos: 4,50 euros por semana (total mensal = 18 euros)

Não existe um montante pré-definido, mas, por exemplo, em vez de dar apenas uma moeda por semana, divida o montante em moedas de menor valor e incentive o seu filho a dividi-las por vários mealheiros, como explicamos de seguida.

A técnica dos três mealheiros

Ensinar as crianças a poupar é um hábito que deve ser promovido por pais, avós e educadores. A técnica dos três mealheiros é uma forma de ajudar os mais novos a gerirem o seu dinheiro. Cada um dos mealheiros tem uma finalidade diferente - gastar, poupar e ajudar.

No mealheiro "gastar" deve ser colocado o dinheiro para as despesas já existentes ou para aquelas que a criança pretende realizar no imediato.

O de "poupar" serve para que coloque de parte dinheiro para futuras compras ou projetos. Além disso é uma forma de ir ganhando o hábito de guardar sempre uma parte do que recebe para criar poupança.

E, por fim, o mealheiro "ajudar" tem como objetivo introduzir uma noção de solidariedade e partilha à criança.

Desta forma, os mais novos vão perceber que não devem gastar tudo aquilo que recebem e que a sua semanada ou mesada deve ser rentabilizada de várias formas.

Como ajudar na gestão do dinheiro

Os pais devem procurar ensinar os filhos a gerirem o seu dinheiro mas sem interferirem nas suas escolhas. Se, por exemplo, a criança gastar toda a semanada ou mesada, deve explicar-lhe as limitações do dinheiro e não lhe dará mais. A semanada e a mesada vão incutir-lhes a noção de responsabilidade de tomar decisões financeiras.

É também importante incluir os mais novos nas conversas sobre as despesas familiares, de forma a que entendam que o dinheiro não é um recurso inesgotável. E, claro, dar o exemplo. Ao presenciarem boas práticas de gestão do orçamento familiar, os mais novos vão perceber melhor como devem agir.

Ficou curioso e quer saber mais aprender mais sobre este tema? Consulte o nosso especial sobre poupança.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.