Sente uma gota de suor a escorrer-lhe pela face ou está perfeitamente confortável? Caso se reveja no primeiro exemplo, este artigo é para si. Em poucos minutos será mestre na arte de falar em público. Se só de imaginar que tem de discursar perante colegas ou desconhecidos começa a sofrer por antecipação, saiba que não está sozinho.

Muitas pessoas têm medo de falar em público. O púlpito é como se fosse o Evereste, que nunca se atreveriam a subir. «Algumas não se sentem confortáveis com tal exposição, outras têm um sentido autocrítico muito forte, outras dão demasiada importância ao que os demais possam pensar delas», justifica Maggie João, executive coach.

De acordo com a especialista, a perspetiva de se ser avaliado, de não corresponder às expetativas ou até de falhar, são os fatores que estão na raiz do medo de apresentar algo diante de uma assistência. Mas a capacidade de ver para além do erro, de aprender com o mesmo e de dizer que não se repetirá pode ser desenvolvida.

Primeiro, deve passar por um processo de consciencialização, caso contrário, segundo Maggie João, não verá grandes progressos. Cada um tem de analisar «como esse medo se repercute na sua vida, que padrões existem, que comportamentos influencia», acrescenta ainda a especialista.

Enfrentar outros desafios

Ter problemas de fala, como o gaguejar, ser-se tímido ou introvertido, também pode estar na origem do medo de falar para uma audiência. O que é que se pode fazer quando se é gago? Aceitar. «Há quem use o humor, há quem utilize a verdade e há outras pessoas que não precisam destas ajudas, porque não veem necessidade delas, e isso pode ser visto como atacar o problema pela raiz», exemplifica Maggie João.

E as pessoas que são naturalmente tímidas ou introvertidas, como é que se podem sentir melhor na sua pele? A executive coach recomenda «brincar com a imagem que tem dentro da sua cabeça sobre o público e, assim, quando olhar para o público verá, por exemplo, um grupo de ratinhos, o que ajuda a dar menos importância a esse público».

Tudo isto para dizer que é possível ultrapassar o medo de falar em público. Basta encarar cada discurso, apresentação e palestra como uma colina. Na primeira vez que a subir vai suar um bocadinho, no entanto, com tempo e treino será como andar de bicicleta. «O importante é ir treinando e experimentando. Só assim podemos expandir a nossa zona de conforto. Às vezes olhamos para trás e já nem nos reconhecemos», frisa Maggie João.

Veja na página seguinte: Os conselhos práticos que vão ser a chave do seu êxito

Da teoria à prática

Depois de perdido o medo de falar em público, resta ao orador ultrapassar outras questões práticas, que também são importantes para se ter uma intervenção de sucesso. Transmita boa energia. Adeque o comportamento, o vocabulário, a maneira de falar, o vestuário ao público e ao local onde está a discursar:

- A roupa deve enquadrar-se nos padrões adotados pelos seus pares (formal ou informal) e ser atual.

- Conte uma história, pessoal ou não, que conheça bem, pois ficará mais descontraída e confiante.

- Aumente um pouco o volume da voz, pois revela interesse pelo assunto.

- Procure tornar-se mais expressiva nos gestos e na fisionomia.

- Estabeleça um contacto visual com a plateia enquanto estiver a falar.

- Faça pausas no discurso para que percebam melhor as informações que está a transmitir.

Prepare o discurso:

- Organize os tópicos que quer abordar por prioridade.

- Antecipe as perguntas que lhe poderão colocar.

- Planeie o tempo de que vai necessitar para falar de tudo.

- Filme-se a praticar em voz alta e analise a sua linguagem gestual.

- Peça a alguém para lhe dar feedback sobre a lógica, clareza e entusiasmo da sua exposição.

Estude o palco

Vale a pena conhecer o espaço onde irá discursar e fazer uma lista das ferramentas de que irá necessitar. Por exemplo, se usar um microfone veja se será de lapela, um headset, um microfone de pé ou de mesa. Mesmo que conheça os mecanismos de todos eles, familiarize-se com aquele que efetivamente irá utilizar e faça um teste de som.

Se cumprir esse ritual, a probabilidade de correr tudo bem é maior. Pergunte se pode ter um copo ou uma garrafa de água consigo no momento da apresentação, pois não só é importante manter-se hidratado, como aproveita os segundos em que está a beber para respirar e autoavaliar-se.

Veja na página seguinte: Exemplos a imitar para ser bem sucedido

Exemplos a imitar para ser bem sucedido

Testemunhos inspiradores de indivíduos que conseguiram ultrapassar o seu medo de falar em público e dicas de especialistas para conseguir a atenção total do seu público:

- «Cantar, para mim, é um alívio doce. (...) É o único momento em que o que sai da minha boca é exatamente o que eu queria dizer como um todo», escreveu a autora de «Why I Live in Mortal Dread of Public Speaking», Megan Washington.

- «Como podemos falar de forma poderosa que faça diferença no mundo? Trabalhando o registo, o timbre, a prosódia, o ritmo, o tom e o volume», defende Julian Treasure, autor de «How to Speak so That People Want to Listen», um livro de 2013.

- «Quando sorrimos não só parecemos ser mais simpáticos e delicados, como realmente parecemos ser mais competentes», afirma o autor de «The Hidden Power of Smiling», Ron Gutman.

- «Pequenos ajustes podem conduzir a grandes mudanças. As nossas expressões não-verbais realmente comandam a forma como pensamos e nos sentimos a respeito de nós próprios», sublinha Amy Cuddy, autora de «Your Body Language Shapes Who You Are», um livro de 2012.

Texto: Filipa Basílio da Silva

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.