Se considerarmos que um menu de almoço custa em média 10€ e multiplicarmos esse valor por cinco dias de trabalho, temos um total de 50€ por semana e 200€ por mês. Se a este montante somarmos mais alguns jantares e lanches esporádicos e acrescentarmos mais pessoas do nosso agregado familiar, facilmente dobramos ou triplicamos esta despesa.

Na realidade, o facto de fazer refeições em casa pode trazer-lhe outros benefícios para além da poupança, como uma maior segurança alimentar e a oportunidade de se tornar mais saudável.

Se pretende poupar no seu orçamento mensal em 2020, reduzir as refeições que faz fora de casa é uma boa estratégia. O segredo passa por ter um plano bem delineado, com uma pitada de paciência. Para tornar esta tarefa mais fácil, deixamos algumas dicas importantes.

1. Elabore um plano

Planear refeições é o passo mais importante no processo de diminuir as idas ao restaurante. Se não souber o que vai jantar quando sair do trabalho ao final do dia, a probabilidade de parar a meio do caminho para comer é muito maior.

Faça um planeamento quinzenal ou mensal das suas refeições diárias. Não só vai conseguir reduzir o número de vezes que vai ao restaurante como as vezes que vai ao supermercado. Ao fazer este plano pode decidir todos os ingredientes que precisa para o mês e evitar compras desnecessárias.

Para poupar ainda mais dinheiro, preste atenção aos folhetos e dê uso aos cupões do seu supermercado.

2. Prepare as refeições

Cozinhar ao final de um dia de trabalho pode ser difícil e esse é um dos principais motivos porque muitas pessoas encomendam comida ou vão jantar fora.

Preparar as refeições previamente é uma boa opção. Não só já tem a comida pronta quando chega a casa, como ainda ganha tempo para estar com a família e fazer outras coisas que gosta.

Se está a planear fazer refeições com ingredientes semelhantes, prepare mais do que uma de cada vez. Por exemplo, se vai fazer carne picada para uma lasanha, aproveite e faça uma grande quantidade que dê para um esparguete à bolonhesa e um empadão. Pode também cortar os legumes previamente para ir utilizando durante a semana ou congelar os restos.

Tire um dia da semana para cozinhar e preparar as refeições dos próximos 5 ou 7 dias, ou vá preparando as mesmas de 2 em 2 dias. O mais importante é que tenha um plano e os ingredientes necessários em casa para que o possa cumprir.

3. Tenha um plano B

Para aqueles dias em que não tem comida pronta e que está com o tempo contado, um truque que o pode ajudar a manter o controlo do seu orçamento é ter em casa comida já confecionada. Essas refeições devem ser fáceis e rápidas de preparar para não cair na tentação de ir ao restaurante.

Aproveite ainda aqueles momentos em que está a cozinhar, para fazer, por exemplo, uma dose a mais para congelar. Assim vai garantir que tem comida para aqueles dias mais complicados, sem ter que recorrer a refeições pré-confecionadas que podem conter teores elevados de açúcar ou de sal.

4. Evite almoçar fora

Muitas pessoas lutam para evitar almoçar fora durante a semana. Os colegas convidam e a comida do restaurante parece mais tentadora que os nossos tupperwares no frigorífico da empresa. Mas se quer mesmo poupar dinheiro, almoçar fora deve ser a exceção e não a regra.

Para aumentar a motivação, experimente não almoçar fora durante 30 dias seguidos e coloque o dinheiro que normalmente gastaria de parte. No final do mês vai sentir-se feliz e motivado(a) a continuar quando vir aquilo que poupou com esta medida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.