Quando as emoções surgem como tempestades

Se sofre de uma flutuação emocional extrema ou se conhece alguém com estas características, então este artigo é para si.

Uma vida emocional intensa e preenchida poderá ser um sinal de ligação ao presente, aos acontecimentos e aos outros. No entanto, convém estar atento a uma excessiva alternância de estados de humor, de ânimo, ou até mesmo à manutenção de uma certa irritabilidade que acaba por interferir com a capacidade que temos de tirar partido das coisas boas do dia-a-dia. Se lhe acontece alguma destas situações com frequência ou se conhece alguém com estas características, então este artigo é para si.

Ao longo da nossa vida é suposto podermos experienciar uma série de tonalidades emocionais, congruentes com a situação e o momento da vida em questão. Pode existir uma tendência geral para o evitamento de emoções mais desagradáveis, como a tristeza ou a zanga, o que não quer dizer que a sua experiência, em intensidade e situação adequadas, não possa fazer parte de processos de adaptação saudáveis. Por outro lado, a experiência emocional demasiado intensa ou alternada pode não permitir que esse processo de adaptação chegue a acontecer, provocando um estado de inquietação ou até mesmo de agitação visível. Esta flutuação emocional extrema está, muitas vezes, relacionada também com comportamentos impulsivos, guiados pelo calor do momento.

Como agir nestes momentos?

1 – Reserve um tempo para pensar sobre o que está a sentir.

É importante que consigamos identificar o que desencadeia as alternâncias no humor. Algumas pessoas registam essas alterações num diário, que permite construir uma visão alargada do padrão das mudanças de humor ou ânimo.

2 – Abrande o ritmo.

Demasiadas coisas em agenda ou demasiada pressão podem potenciar as tempestades emocionais. Permita-se fazer as coisas com calma.

3 – Pratique uma atividade relaxante.

Existem algumas atividades como a meditação ou o mindfulness que ajudam a lidar melhor com as mudanças de humor. No entanto, qualquer atividade que o faça sentir relaxado poderá cumprir esta função.

4 – Não reaja diretamente à emoção ou impulso

Dê algum tempo para estabilizar a ativação emocional. Pense que esse é um estado transitório que acalmará tão mais rapidamente quanto o deixar ir.

5 – Pratique uma atividade física.

Exercitar o corpo, para além de ajudar a libertar energia, ajuda-nos a aumentar no organismo substâncias que contribuem para o nosso bem-estar.

6 – Socialize com pessoas de quem gosta

As interações positivas ajudam-nos a manter a auto-estima e a ligação a quem nos rodeia, constituindo pólos de estabilidade.

7 – Procure ajuda

Se sente que a sua instabilidade emocional é causadora de menor qualidade de vida e não consegue alterar a situação, procure ajuda especializada. Existem outras formas de o ajudar a viver melhor.

Catarina Janeiro

Psicóloga Clínica

Psinove – Inovamos a Psicologia

www.psinove.com

artigo do parceiro:

Comentários