O que é, afinal, o colesterol? Trata-se de uma substância necessária ao organismo.

Como refere a investigadora do Instituto Nacional de Saúde
Dr. Ricardo Jorge, Mafalda Bourbon, «o colesterol é uma gordura indispensável à vida. É um constituinte das membranas celulares e participa na síntese de hormonas esteróides e de algumas  vitaminas, assim como na síntese dos ácidos biliares».

Ainda assim, mesmo sendo uma substância necessária, pode tornar-se nociva para o organismo quando existe em demasia. «Os níveis elevados de colesterol no sangue são prejudiciais para a saúde pois a gordura deposita-se na parede arterial. A acumulação de colesterol na parede das artérias origina a formação de placas lipídicas que impedem a livre passagem do sangue», explica Mafalda Bourbon.

No fundo, um excesso desta substância faz aumentar o risco de doenças cardiovasculares porque a acumulação de colesterol nas artérias estreita e endurece os vasos sanguíneos. O maior problema? O facto de ser uma doença que não apresenta quaisquer sintomas. A hipercolesterolemia é silenciosa, pelo que, se não houver prevenção e cuidado, nomeadamente com a alimentação, o peso e a actividade física, pode ser fatal.

O bom e o mau

Há dois tipos de colesterol, o colesterol HDL (bom) e o colesterol LDL (mau). O colesterol é insolúvel em meios aquosos, pelo que, no sangue, é transportado através de lipoproteínas (HDL ou LDL), que são partículas constituídas por uma parte de gordura e outra proteica. De acordo com o tipo e função das lipoproteínas, assim o colesterol é designado por bom ou mau. O bom lubrifica as paredes dos vasos sanguíneos e facilita a circulação do sangue, para além de varrer a gordura como se fosse uma vassoura.

É responsável pela remoção do colesterol em excesso, transportando-o de volta para o fígado, onde depois é eliminado. Já o colesterol mau é prejudicial porque transporta a gordura pelo organismo e, quando está em excesso, por ter uma textura pegajosa, deposita-se nas paredes das artérias, podendo estreitá-las.

A acumulação de gordura pode bloquear as artérias por completo ou mesmo danificá-las até que se criem coágulos de sangue que vão bloquear a circulação. O importante é manter o nível do colesterol total controlado, diminuindo o LDL e aumentando o HDL, para que a diferença entre o colesterol mau e o bom seja adequada e não cause problemas.

Os níveis recomendados

A Sociedade Europeia de Cardiologia recomenda que se deve manter os
níveis de colesterol total abaixo dos 190 mg/dl e o colesterol LDL, o considerado mau, abaixo dos 115 mg/dl, valores médios para os adultos saudáveis.

No caso de pacientes com doenças cardiovasculares, diabetes ou
insuficiência renal, por serem considerados doentes de risco,
recomendam-se valores de colesterol total inferiores a 175 mg/dl e de
colesterol LDL inferiores a 100 mg/dl.

Nas  crianças, o valor
recomendado pela Sociedade Europeia de Pediatria é abaixo de 170  mg/ dl
para o colesterol total e 100 mg/dl para o colesterol LDL.
Relativamente ao  colesterol HDL, considerado o bom colesterol, os valores devem ser
superiores a 46 mg/dl nas mulheres e a 40 mg/dl nos homens.

Texto: Ana Catarina Alberto com Mafalda Bourbon (investigadora na área da hipercolesterolemia no Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.