Agora o oxigénio também se paga. É servido em lata e tem vários aromas à escolha

A ideia de vender ar com uma concentração de oxigénio mais elevada do que a presente no ambiente nasceu no Japão há cerca de uma década.

O conceito surgiu a pretexto da má qualidade do ar e rapidamente foi exportado para outros mercados. Ao chegarem à Europa e aos Estados Unidos, as latas de oxigénio (inicialmente brancas com um aspecto clínico) ganharam um design moderno e ao conteúdo foram adicionados diferentes aromas.

Hoje em dia os shots de oxigénio são um must nos eventos mais chiques da alta sociedade e um produto comercial de sucesso. Conheça esta moda que em breve chegará a Portugal. Imagine que se encontra numa reunião de trabalho monótona. Ninguém contribui com ideias produtivas e está toda a gente com cara de segunda-feira. Até que o colega ao seu lado pega numa lata de oxigénio e inspira um pouco de ar puro.

Todos os seguem e, de repente, a reunião aborrecida transforma-se numa troca de ideias profícua. Segundo os fabricantes, o oxigénio em lata serve precisamente para melhorar a nossa vida. Um ou dois shots de oxigénio pela manhã ajudam a despertar os sentidos. No ginásio reforçam a resistência física. Durante uma viagem previnem o jet lag e, ao voltar de uma divertida saída à noite, evitam o mal-estar no dia seguinte.

O² cinco estrelas

O sucesso do oxigénio em lata abriu espaço para um outro negócio: os bares de oxigénio. Nos Estados Unidos, a moda já tem alguns anos e tem vindo a somar adeptos. Um bar de oxigénio (ou oxygen bar) é um lugar onde as pessoas respiram o dobro da concentração de puro oxigénio em intervalos de tempo que podem variar entre três a 20 minutos.

O ambiente é em tudo igual ao de qualquer outro bar ou discoteca. A única diferença é que no lugar de garrafas de licor e outras bebidas, estão garrafas de oxigénio coloridas (cada uma correspondendo a um aroma). E em vez de um local poluído de fumo, utilizam-se cateteres descartáveis que permitem respirar o «ar fresco». Estão localizados nas zonas mais fashion da cidade e as pessoas que os frequentam procuram essencialmente divertir-se.

Marketing de sucesso

Apesar de não existirem estudos científicos que comprovem a eficácia dos suplementos de oxigénio, os entusiastas desta inovação dizem sentir-se menos stressados e mais produtivos após inalarem este ar puro.

No entanto, segundo José Carvalho, pneumologista, «o oxigénio que temos no ar ambiente é perfeitamente suficiente para vivermos. Podemos comparar este produto a alguns cremes, pois tem apenas um efeito cosmético, mais nada».

Este especialista esclarece ainda que as latas em questão não devem ser confundidas com um dispositivo médico. «Essa é apenas uma boa ideia comercial, aproveitando a crescente preocupação com a qualidade do ar, esse sim um problema real», refere. Níveis elevados de oxigenoterapia podem induzir problemas de saúde, no entanto, para o especialista o produto não apresenta problemas: «mal não faz, mas bem também não», conclui.


Veja na página seguinte: Quanto custam estas garrafas de ar

Latinhas coloridas
Como surgiu esta moda original

Foi no centro de Madrid que a saber viver descobriu o oxigénio portátil. As latas Ogo Oxygen, são um produto de fabrico holandês exportado para as principais cidades dos Estados Unidos, Europa, Japão, Médio Oriente e Austrália.

Cada lata contém seis litros de ar com uma concentração de 95 por cento de oxigénio, o que equivale a 30 lufadas de ar puro. Steve Rowe, da empresa Wawali, representante da marca em Espanha, faz um balanço positivo da experiência.

«Estamos muito satisfeitos com o sucesso de Ogo», assume. «Nota-se um interesse crescente nos benefícios do oxigénio e agora até há bares de oxigénio em Barcelona e Madrid», acrescenta. Segundo ele, o êxito da marca deve-se ao design das latas e à facilidade de uso: basta remover o selo e a tampa, pressionar a boca da lata contra a nossa e inspirar profundamente.

Estas estão à venda na rede de cafés Vips (em Espanha), mas podem também ser adquiridas no site www.delices.com. O preço ronda os seis ou oito euros por garrafa. «Actualmente estamos a desenvolver a distribuição em Portugal. Em breve, esperamos fazer chegar a marca a Lisboa e Porto», revela.


Sabia que...

A Air Press, uma cadeia com mais de 20 bares de oxigénio no Japão, abriu recentemente em Tóquio o primeiro bar de oxigénio exclusivo para cães. Os animais são colocados num cilindro onde o oxigénio é libertado em sessões de meia hora. Cada tratamento destes custa 13 euros.


Texto: Vanda Oliveira com José Carvalho (pneumologista)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.