Estas crianças apresentam intolerância à ingestão do glúten que existe nos cereais, como o trigo, centeio, aveia e cevada, e que causa um atrofiamento da mucosa intestinal resultando na incapacidade de absorver corretamente os nutrientes dos alimentos, como é o caso das proteínas, hidratos de carbono, gorduras e vitaminas.

A única maneira de viver com tranquilidade com esta doença definitiva é optar por um comportamento alimentar com restrições adequadas.

Assim, e confirmada a doença, deverá estabelecer-se um tratamento dietético que consiste em manter uma alimentação sem glúten. Conseguida a recuperação intestinal e desde que a criança não seja exposta a novos contactos com o glúten, esta crescerá saudável com qualquer outra que não sofra deste condicionalismo.

Alimentos proibidos a celíacos

Farinhas e amidos de trigo, aveia, centeio, cevada

Malte e extrato de malte

Pão

Bolachas

Bolos

Massas alimentícias

Iogurtes com cereais

Sopas desidratadas

Farinheira e alheira

Bife panados

Pizas

Cerveja

Evite alimentos que contenham nos rótulos a seguinte composição

Amido dos cereais proibidos

Amido

Amido modificado

Proteína vegetal

Fibras alimentaresE-14xx e E-5xx

Malte e xarope de malte

Levedura

Cereais

 

Para uma informação mais especializada sobre esta doença: Associação Portuguesa de Celíacos (telefone 217 530 193; mail: apc@celiacos.org.pt).

Uma receita:

Piza de atum sem glúten

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.