“Temos um cumulativo de 15 mortos, mas nos últimos três meses não registamos nenhum”, disse Anastácia Lidimba, diretora provincial de Saúde Pública em Cabo Delgado.

A província de Cabo Delgado registou, até agora, um total de 893 casos de cólera, principalmente em regiões que foram afetadas pelo mau tempo durante a época chuvosa 2019/2020 em Moçambique.

Em fevereiro, o Governo moçambicano anunciou que o surto estava “quase controlado”, tendo aberto três centros de isolamento e tratamento, como parte das estratégias para travar a propagação da doença na província.

Os serviços de saúde da província estão também a fazer campanhas de sensibilização, limpeza e distribuição de purificadores de água, visando reduzir o impacto do surto da cólera.

O mau tempo que se registou na província afetou mais de 10 mil pessoas, além de destruir várias infraestruturas, com destaque para o desabamento da ponte sobre o rio Montepuez, que interrompeu uma das principais estradas da província, deixando vários distritos do norte isolados por várias semanas.

Entre os meses de outubro e abril, Moçambique é ciclicamente atingido por ventos ciclónicos oriundos do Índico e por cheias com origem nas bacias hidrográficas da África Austral.

A época das chuvas 2019/2020 provocou a morte de 54 pessoas devido a desastres naturais (sobretudo raios e inundações), e afetou cerca de 65 mil pessoas, muitas com habitações inundadas, segundo dados do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.