A Associação Portuguesa de Medicamentos Genéricos (Apogen) avisou hoje que a sucessiva redução dos preços dos genéricos está a pôr em risco esta indústria e a comprometer a entrada de novos genéricos no mercado.

O presidente da Apogen, Paulo Lilaia, afirmou hoje na Comissão Parlamentar de Saúde que o "sucessivo abaixamento das margens de lucro não é aconselhável".

Segundo o responsável, os medicamentos genéricos devem ter preços baixos, "mas não tão baixos que aniquilem a indústria de base nacional dos medicamentos genéricos", o que considera estar a acontecer.

Paulo Lilaia defende que haja um custo mínimo para que as empresas possam comercializar e lembra, a título de exemplo, que a Índia e a China praticam preços tão baixos que será impossível competir com eles.

O responsável apontou ainda a discrepância entre preços de medicamentos originais e o seu genérico - diferenças de três para 60 euros ou de 10 para 240 –, um grande desajustamento entre medicamentos de preço demasiado elevado e genéricos de preço demasiado baixo.

"Os genéricos devem ter um preço de valor suficiente para se manterem no mercado. Muitos medicamentos em Portugal, neste momento, têm um preço demasiado baixo. O preço de referência desceu quase 40 por cento entre julho de 2010 e dezembro de 2011", afirmou.

Para o presidente da Apogen, "a situação está a chegar a um nível insustentável e está a comprometer as empresas e a impedir a entrada de novos medicamentos genéricos".

17 de janeiro de 2012

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.