Londres propõe a proibição da venda de bebidas com mais de 150 mg de cafeína por litro a menores de idade.

Vários distribuidores já proíbem a venda deste tipo de refrigerantes a menores de 16 anos, mas o governo prevê que todos os lojistas adotem a medida, para lutar contra a obesidade infantil e os problemas de saúde associados ao seu consumo.

Laurent Simons, a criança prodígio que está prestes a entrar na universidade aos 8 anos
Laurent Simons, a criança prodígio que está prestes a entrar na universidade aos 8 anos
Ver artigo

A consulta pública terá como objetivo determinar se a proibição deve ser aplicada a menores de 16 anos ou de 18 anos.

Dois terços das crianças consome bebidas com cafeína

Mais de dois terços das crianças e adolescentes dos 10 aos 17 anos e 25% dos menores entre os 6 e 9 anos consomem bebidas energéticas.

Uma lata de 250 ml de bebida energética pode conter 80 mg de cafeína - o equivalente a três latas de refrigerante - e em média uma lata desta bebida tem 60% mais de calorias e 65% mais de açúcar que uma bebida normal, segundo dados do governo inglês.

"Milhares de jovens consomem regularmente bebidas energéticas, às vezes porque são mais baratas que os refrigerantes", afirmou a primeira-ministra Theresa May em comunicado.

"Temos a responsabilidade de proteger as crianças dos produtos que afetam a sua saúde e educação", completou no mesmo comunicado o secretário de Estado para a Saúde Pública, Steve Brine.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.