"Com o risco de novas infeções pelo vírus Zika em diversos países, e a possível ligação entre (...) o vírus e a microcefalia, além de outras consequências clínicas, restringir as doações de sangue por parte daqueles que regressam de regiões onde há a epidemia é uma medida de precaução adequada", segundo a OMS.

O Canadá e a Grã-Bretanha já tomaram a dianteira, tendo as autoridades de saúde canadianas anunciado, na quarta-feira, que os viajantes que voltam das regiões de maior risco devem esperar 21 dias após regressar ao Canadá para doar sangue.

Por seu lado, o serviço público de saúde britânico decidiu, também na quarta-feira, que aqueles que voltam de países afetados pela epidemia não podem doar sangue ou órgãos durante 28 dias, como "medida de precaução".

O vírus é uma ameaça para as mulheres grávidas e, em alguns casos, causa complicações graves no feto, incluindo malformações, o que levou a OMS a declarar o caso como uma "emergência de saúde pública de âmbito internacional".

Quinze países latino-americanos estão bastante preocupados, incluindo o Brasil e a Colômbia, os dois mais afetados.

Leia também: 10 cuidados básicos ao viajar para países com Zika

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.