O grupo químico e farmacêutico alemão Bayer lançou em maio uma oferta de aquisição da Monsanto, oferecendo 62 mil milhões de dólares (55,2 mil milhões de euros), pela totalidade do grupo norte-americano, proposta que foi considerada demasiado baixa pela norte-americana.

Na semana passada, o grupo alemão aumentou a oferta para comprar a Monsanto passando de 122 dólares por ação para 125 dólares por ação, mas a empresa norte-americana diz que a proposta ainda é "financeiramente inadequada" para garantir um acordo.

Leia também: 10 substâncias químicas prejudiciais à saúde

Saiba ainda: Glifosato, mais do que um herbicida, será um perigo para a saúde?

Polémica sobre o glifosato

A multinacional Monsanto tem estado relacionada, nos últimos tempos, com noticias muito controversas, dado que vários países europeus estão contra a utilização do glifosato, substância muito utilizada nos pesticidas do grupo Monsanto, e que, segundo alguns especialistas, é suspeita de ser cancerígena.

No entanto, um estudo recente das Nações Unidas veio no entanto descartar essa possibilidade, considerando-a "improvável".

A Comissão Europeia autorizou a utilização da substância até dezembro de 2017, altura em que prevê que estejam prontas as conclusões de um estudo amplo sobre o químico.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.