Em comunicado enviado à Lusa, o HSOG explica que a intervenção naquele serviço, que se "considerou ser de caráter urgente", vai "exigir algumas alterações do espaço físico, ou seja, a parte antiga da urgência será temporariamente encerrada, sendo que os utentes passarão a ser atendidos na nova área do Serviço de Urgência".

No texto, reitera-se a importância de que, nesta segunda fase de requalificação, "é fundamental adequar o espaço a situações de saúde que sejam, efetivamente, casos urgentes e emergentes".

O HOSG reforça "a importância de que neste período transitório de obras os doentes agudos não urgentes devem optar por respostas mais adequadas à sua condição, nomeadamente através de contacto com a Linha Saúde 24 ou utilização do Cuidados de Saúde Primários da sua área de residência"

Por isso, realça o texto, "o Agrupamento de Centros de saúde (ACES) do Alto Ave tem, atualmente, uma oferta assistencial mais alargada nas suas Unidades de Saúde".

A requalificação do Serviço de Urgência está orçada, na totalidade, em 3,2 milhões de euros, com a autarquia a comparticipar as obras em cerca de 1,2 milhões de euros, para além de 900 mil euros que chegam através de fundos comunitários, sendo que o HOSG serve uma população de cerca de 300 mil pessoas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.