Citando os registos do Instituto Nacional de Medicina Legal, o Relatório Anual sobre A Situação do País em Matéria de Drogas e Toxicodependências 2016 refere que “dos 208 óbitos com pelo menos uma substância ilícita no metabolismo e com informação sobre a causa de morte, 27 (13%) foram considerados ‘overdoses’”.

10 benefícios científicos comprovados da canábis terapêutica
10 benefícios científicos comprovados da canábis terapêutica
Ver artigo

“Após os aumentos nos dois anos anteriores, em 2016 diminuíram as ‘overdoses’ (-33%), mantendo-se os valores dos últimos seis anos aquém dos registados entre 2008 e 2010”, sublinha o relatório do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD).

Nas ‘overdoses’ destaca-se a presença de opiáceos (44%), metadona (37%) e cocaína (33%), sendo que na maioria das vezes (89%) foi detetada mais do que uma substância no organismo.

Droga com álcool ou medicamentos

Nestes casos, o destaque foi para a associação de drogas ilícitas com o álcool (44%) ou benzodiazepinas (41%).

Relativamente às outras causas das mortes com a presença de drogas (181), 39% foram atribuídas a acidentes, 35% a morte natural, 16% a suicídio e 4% a homicídio.

O relatório revela ainda que, em 2016, foram instaurados 10.765 processos de contraordenações por consumo de droga, o valor mais elevado desde 2001 e que representa um ligeiro aumento (4%) face a 2015. A maioria dos processos (86%) estavam relacionados com a posse de 'cannabis'.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.