Em comunicado, a câmara liderada pelo socialista Augusto Domingues adiantou que o município irá comparticipar 50% do valor que cabe ao utente, na compra de medicamentos com receita médica, até um montante anual de 160 euros.

A medida, aprovada pelo executivo municipal no passado dia 23, integra o projeto de regulamento de comparticipação municipal em medicamentos publicado hoje em Diário da República.

A partir de sexta-feira, e por um período de 30 dias, o documento vai estar em audiência pública para recolha de sugestões.

Concluído aquele prazo a proposta de regulamento municipal será novamente submetido à apreciação do executivo e da Assembleia Municipal, estimando-se a abertura de candidaturas "para meados deste ano".

Para Augusto Domingues, citado na nota enviada à imprensa, trata-se de uma medida de "combate a situações de adversidade social" face "aos reduzidos recursos financeiros e ao envelhecimento progressivo da nossa população" do concelho.

"Não queremos que ninguém deixe de tomar os remédios por não os poderem comprar. A nossa função é essa. Ajudar quem mais precisa", sustentou o autarca.

Aquele apoio destina-se a pessoas com idade igual ou superior a 66 anos, com comprovada carência económica.

Os medicamentos com receita medida a comparticipar pela autarquia poderão ser adquiridos nas seis farmácias existentes no concelho, que aderiram à iniciativa, através de um cartão que será disponibilizado aos beneficiários e que será atualizado sempre que houver uma compra.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.