A comunidade internacional não conseguirá acabar com a má nutrição até 2030 se não atuar mais energicamente, segundo os autores do estudo financiado por entidades públicas e organizações filantrópicas de todo o mundo.

O estudo assinala que pelo menos 57 dos 129 países analisados apresentam altos níveis tanto de desnutrição - principalmente no atraso do crescimento e anemia - como de obesidade e excesso de peso na idade adulta.

Leia também: O drama de ser albino em África

"Uma em cada três pessoas sofre de má nutrição", explica Lawrence Haddad, co-presidente do grupo responsável pelo estudo e investigador associado ao International Food Policy Research Institute, citado num comunicado de imprensa daquele instituto.

Segundo a investigação, quase metade das mortes de crianças com menos de cinco anos é provocada por má nutrição. No entanto, também o número de crianças com menos de cinco anos com excesso de peso está mais próximo do número crianças com a mesma idade com peso abaixo do desejado.

Segundo o estudo, os países precisam de investir mais 70 mil milhões de dólares para alcançar os objetivos mundiais de redução em termos de atraso de crescimento, má nutrição severa, lactância e de redução da anemia previstos para 2030.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.