Todos os lotes de sete medicamentos que utilizaram substâncias ativas produzidas numa fábrica na Índia onde o Infarmed detetou falhas quanto às "boas práticas de fabrico" vão ser retirados de circulação, segundo este organismo.

Em causa estão dois medicamentos antiepiléticos e anti-convulsionantes e cinco anti-inflamatórios não esteroides, cujos lotes à venda em Portugal não podem ser comercializados.

Ao todo são 22 lotes de Proaxen, oito lotes de Zigabal e 18 de anti-inflamatórios não esteroides (Aceclofenac).

A inspeção realizada pela autoridade que regula o setor do medicamento em Portugal (Infarmed) visou a fábrica Amoli Organics PVt., em Vadodara, na Índia.

Este organismo detetou "não conformidades às boas práticas de fabrico" nesta fábrica e determinou "a suspensão da comercialização e a recolha imediata dos lotes de fármacos", uma vez que "as substâncias ativas produzidas por este fabricante foram utilizadas no fabrico de vários medicamentos".

De acordo com o Infarmed, "existem alternativas terapêuticas no mercado para os medicamentos identificados".

07 de maio de 2012

@Lusa

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.