A meta de vacinar com a primeira dose pelo menos 70% da população portuguesa até 8 de agosto pode atrasar-se até 15 dias, admitiu esta quarta-feira o coordenador da Task Force para o Plano de vacinação contra a COVID-19, o vice-almirante Gouveia e Melo, em videoconferência na Comissão Parlamentar de Saúde.

"A meta dos 70% de primeiras doses prevista para 08 de agosto pode atrasar-se até 15 dias", referiu o vice-almirante Gouveia e Melo, que falava durante uma audição na Comissão Parlamentar de Saúde.

A justificação prende-se com os "stocks muito limitados" de vacinas disponíveis. Segundo o responsável, o atraso ocorrerá não "por falta de capacidade dos nossos sistemas", mas "porque não temos vacinas suficientes".

"Os planos têm sido sempre revistos em baixa e os prazos de entrega puxados para a frente", lamenta. "Estamos a vacinar o máximo que podemos. Temos stocks muito limitados", acrescentou. "Estou a fazer o que posso para otimizar o ‘stock’", afirmou o responsável.

Segundo Henrique Gouveia e Melo, Portugal deve atingir os 70% de imunizados durante as três primeiras semanas de agosto, garantindo que o país vive atualmente num momento de "aceleração do processo de vacinação"

O coordenador informou ainda que na última semana foi possível, pela primeira vez, atingir de forma sistemática mais de 100 mil inoculações diárias, embora - alargando os horários - possa haver capacidade para vacinar 140 mil pessoas por dia. “Se tivermos vacinas para manter esse ritmo ele será mantido e, se possível, ultrapassado” afirmou Gouveia e Melo, acrescentando:

"Não está nas nossas mãos, nem nas da população, controlar as vacinas que recebemos", disse.

Perto de três milhões de portugueses, o equivalente a 29% da população, tem a vacinação completa contra a COVID-19, tendo sido administradas mais de 720 mil doses na última semana, anunciou ontem a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o relatório semanal da vacinação divulgado pela DGS, 2.947.718 pessoas já têm a vacinação completa e 4.688.551 foram vacinadas com a primeira dose, o que equivale a 46% da população.

Nos últimos sete dias, foram administradas 720.121 vacinas contra o vírus SARS-CoV-2, adianta ainda o relatório.

No total, Portugal recebeu 8.604.606 vacinas contra a COVID-19, tendo sido distribuídas pelos postos de vacinação e pelas regiões autónomas 7.566.600 doses.

Em Portugal, morreram 17.074 pessoas e foram confirmados 866.826 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A pandemia de COVID-19 provocou, pelo menos, 3.875.359 mortos no mundo, resultantes de mais de 178,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.