A Associação Nacional de Farmácias (ANF) denunciou hoje que as farmácias estão a vender medicamentos a um preço diferente daquele que está marcado na embalagem, por imposição do Infarmed, o que está a gerar "grande confusão" entre os utentes.

Numa audição da comissão parlamentar de saúde sobre a situação de falência das farmácias, o presidente da ANF afirmou que o preço dos medicamentos em vigor não é o que está marcado na embalagem, mas sim o administrativamente aprovado, que é inferior.

Segundo João Cordeiro, a Assembleia da Republica aprovou a redução em seis por cento do preço dos medicamentos e “o Infarmed decidiu que o preço na embalagem é o máximo administrativamente aprovado, que não tem em linha de conta a redução de 6 por cento (%) decidida pelo Governo”.

O presidente considera “inacreditável e inaceitável” que o preço marcado não seja o que as pessoas têm que pagar e seja mais caro do que o real valor do medicamento.

Para o responsável, esta situação deveria ter sido resolvida de uma forma “muito simples” que era a alteração do preço nas embalagens, entendimento que o Infarmed não teve.

No final de 2010, o Governo aprovou a redução do preço dos medicamentos em 6%, mas essa alteração nunca chegou a ser efetivada no valor marcado nas embalagens, porque na mesma altura foi decidida a eliminação da indicação dos preços de venda ao público.

Entretanto, em março de 2011, foi aprovada a decisão de voltar a indicar o preço dos medicamentos nas embalagens, o que já acontece desde dezembro do ano passado, sem que os valores tenham sido atualizados.

18 de janeiro de 2012

@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.