Após a deteção de trombose que gerou preocupações em torno da vacina da AstraZeneca, a EMA analisa agora cinco casos da chamada síndrome de extravasamento capilar, caracterizada por uma "supuração de fluido nos vasos sanguíneos, que causa edema capilar e queda da tensão arterial".

O regulador de medicamentos da União Europeia afirmou também nesta sexta-feira que iniciou uma análise de possíveis vínculos entre a vacina contra o coronavírus da Johnson & Johnson e coágulos sanguíneos após a informação de quatro casos, um deles mortal.

"Foram notificados quatro casos graves de coágulos sanguíneos raros com um nível baixo de plaquetas depois da vacinação com a vacina Janssen contra a COVID-19 ", disse a EMA, referindo-se à filial europeia da gigante farmacêutica americana J&J.

"Ainda não está claro se existe uma relação de causa" entre a administração das duas vacinas e os efeitos adversos citados, reiterou a EMA.

A EMA afirma que após analisar os dados relacionados a esses possíveis efeitos secundários da AstraZeneca e J&J, vai "decidir se é necessário adotar medidas regulatórias", que geralmente consistem em adicionar notificações sobre esses efeitos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.