O anúncio foi feito hoje pelo conselheiro (responsável do executivo regional) da Saúde e dos Serviços Sociais da Junta da Estremadura, José María Vergeles, depois de salientar que algumas das infeções que estão a ser detetadas na região estão ligadas a festas, reuniões e situações de lazer em que as medidas de segurança não foram respeitadas, o que considerou inaceitável.

"O relaxamento de uns poucos pode ser o motivo de preocupação de muitos ou que voltemos a situações anteriores", acrescentou o também segundo vice-presidente do Governo da região que faz fronteira com Portugal, que tem defendido que se tomem medidas com "contundência" e "rapidamente", face ao que está a acontecer noutras comunidades autónomas espanholas.

Assim, a utilização de máscaras para os maiores de seis anos será obrigatória em parques, piscinas, locais de trabalho, festas e esplanadas, entre outros espaços.

Os que violarem esta regra poderão ter de pagar multas leves, mas também ser sancionados até 6.000 euros, dependendo do risco que tenham causado à saúde pública.

A decisão é tomada depois de as comunidades autónomas espanholas da Catalunha (nordeste do país) e das Ilhas Baleares (Mediterrâneo) terem avançado com medidas idênticas nos últimos dias.

Na mesma conferência de imprensa, José María Vergeles revelou que os serviços de saúde da Estremadura espanhola vão acompanhar de uma forma "muito rigoroso" a situação epidemiológica no município de Villanueva del Fresno durante este fim de semana, dado fazer fronteira com o município português de Reguengos de Monsaraz.

Se a análise epidemiológica detetasse "algum risco" para a população e sem invadir as competências de Portugal poderia ser decidido um isolamento social nesta zona sanitária, mas “não creio que neste momento tenhamos de chegar a essa situação", disse José María Vergeles.

O responsável regional fez estas declarações depois de na quinta-feira dois municípios da província de Badajoz, Villanueva del Fresno e Valência del Mombuey, que fazem fronteira com Portugal, terem solicitado o encerramento dos respetivos postos fronteiriços até ao estabelecimento de um protocolo entre os dois países.

Apesar de não citarem, a causa do pedido dos dois municípios é o surto de covid-19 originado no outro lado da fronteira, no município de Reguengos de Monsaraz.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 551 mil mortos e infetou mais de 12,12 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (133.106) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,1 milhões).

Seguem-se Brasil (69.184 mortos, mais de 1,75 milhões de casos), Reino Unido (44.602 mortos, mais de 287 mil casos), Itália (34.929 mortos e mais de 242 mil casos), México (33.526 mortos, mais de 282 mil casos), França (29.982 mortos, mais de 207 mil casos) e Espanha (28.401 mortos, mais de 253 mil casos).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.