“Sem novos casos positivos, a situação de exceção [na freguesia de Câmara de Lobos] será levantada a partir das 00:00 do dia 03 de maio”, declarou Miguel Albuquerque, em videoconferência, no Funchal, destinada a divulgar o calendário do desconfinamento e a reabertura “gradual” de algumas atividades económicas na região.

Devido ao surgimento de uma cadeia de transmissão da covid-19 num dos bairros sociais de Câmara de Lobos, o da Nova Cidade, alegadamente na sequência de um convívio familiar na altura da Páscoa, o executivo madeirense decretou em 19 de abril uma cerca sanitária para esta freguesia, por um período de 15 dias, a única adotada no arquipélago.

A situação levou ao confinamento de 22 pessoas desta cadeia numa unidade hoteleira na zona do Cabo Girão, foram identificados mais de 200 contactos e foram realizados “mais de 500 testes na última semana”, referiu o presidente do Governo da Madeira, de coligação PSD/CDS-PP.

Miguel Albuquerque agradeceu o comportamento da “população, autoridades e autarquias de Câmara de Lobos”, destacando que cumpriram as “medidas de contenção para evitar a propagação da pandemia”.

O governante sublinhou que se não tivesse sido tomada a decisão da criação da cerca sanitária, existiriam “consequências nefastas a nível local e regional”.

“Esta medida permitiu acompanhar as famílias e a contenção da contaminação”, afirmou, lembrando que surgiram na altura “29 novos casos apenas em dois dias".

Na quarta-feira, segundo o Instituto da Administração da Saúde da Madeira (IASAÚDE), a região continuava, pelo quinto dia consecutivo, sem novos casos positivos, com um total de 86 infetados.

Contudo, destes, apenas 43 são situações ativas, registando-se o mesmo número de recuperados, com um doente hospitalizado devido ao agravamento da sua condição de saúde.

Sobre a cadeia de transmissão identificada na freguesia de Câmara de Lobos, a vice-presidente do IASAÚDE, Bruna Gouveia, esclareceu, no mesmo dia, que o número de casos positivos associados é de 31, sete dos quais importados, na sequência de viagens às regiões de Lisboa e Vale do Tejo e do norte do país, e 24 de transmissão local.

As autoridades de saúde já realizaram 503 testes a pessoas relacionadas com esta cadeia, identificada desde o dia 17 de abril, incluindo profissionais de saúde e os 105 utentes e colaboradores do lar de idosos junto ao complexo habitacional Nova Cidade, onde surgiu o foco de contaminação.

Neste bairro, situado perto do centro de Câmara de Lobos, residem cerca de 600 pessoas, que estão também a ser testadas, não havendo para já registo de mais casos positivos. Foram já realizadas ações de desinfeção dos espaços comuns.

"Não nos parece que seja necessário continuar com esta cerca sanitária", afirmou, na quarta-feira, o secretário regional da Saúde, Pedro Ramos, sublinhando, no entanto, que "a covid-19 ainda não está erradicada” da Região Autónoma da Madeira.

Portugal regista 989 mortos associados à covid-19, mais 16 do que na quarta-feira, e 25.045 infetados (mais 540), indica o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção Geral da Saúde.

Comparando com os dados de quarta-feira, em que se registavam 973 mortos, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1,6%.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Cerca de 908 mil doentes foram considerados curados.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.