Uma equipa de investigadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, diz saber identificar a orientação sexual dos homens com base na sequenciação genética do ADN.

Segundos os cientistas, liderados por Tuck Ngun, existem nove partes do código genético que podem ter um papel na determinação da hetero, homo ou bissexualidade nos homens.

As conclusões foram obtidas depois de compararem o ADN de 47 pares de gémeos do sexo masculino, incluindo irmãos com orientações sexuais diferentes, explica o jornal britânico Guardian.

"Este é o primeiro exemplo de um modelo de previsão para a orientação sexual baseado em marcadores moleculares", comenta Tuck Ngun.

"Estudos anteriores já tinham identificado regiões dos cromossomas envolvidas na orientação sexual, mas nós fomos capazes de definir essas áreas. A atração sexual é uma parte fundamental da vida, mas não é algo que saibamos muito do ponto de vista genético e molecular. Espero que esta investigação nos ajuda a compreender-nos melhor", acrescentou.

"Os próximos passos serão explorar como a genética e os fatores ambientais interagem para produzir variações nas orientações sexuais ao longo da vida", disse ainda.

O estudo, que foi apresentado esta semana no encontro anual da Sociedade Americana de Genética Humana, em Baltimore, alega ainda ter provas que influências ambientais podem afetar a orientação sexual.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.