O investigador principal do projeto, Mangilal Agarwal, explicou que o estudo surgiu na sequência de outro publicado em 2014 e que indicava que os cães poderiam detetar o cancro da próstata com mais de 97% de precisão.

A equipa de Agarwal já estava a trabalhar num projeto para detetar hipoglicémia (baixa de açúcar no sangue) através da respiração, usando cães treinados para o efeito, e começou a investigar que moléculas os cães poderiam detetar no cancro da próstata.

Uma forma de se saber se um paciente sofre de cancro da próstata é através de uma biópsia, um procedimento doloroso ao qual milhares de homens se submetem todos os anos, sendo que a maioria não tem a doença. Segundo os cientistas foram feitos progressos para minimizar biópsias desnecessárias identificando moléculas associadas ao cancro da próstata, que poderão ser detetadas ao “cheirar” a urina com sensores químicos.

“Se os cães podem cheirar o cancro da próstata, nós também seremos capazes de o fazer”, disse Amanda Siegel, que como Agarwal pertence ao Instituto Integrado de Desenvolvimento de Nano-sistemas da Universidade de Indiana, Estados Unidos.

Para detetar que moléculas presentes na urina poderão indicar cancro da próstata os investigadores colheram amostras de urina de 100 homens submetidos a biópsias à próstata e identificaram um pequeno grupo de moléculas que aparecem em 90% das amostras de urina de pacientes com cancro, mas que não estavam presentes nas amostras das pessoas sem a doença. A equipa quer agora fazer testes em larga escala em centros de saúde.

Outros estudos

Os cães têm um olfato cerca de dez vezes mais potente do que o do Homem. Um estudo de 2015 revela que este animal doméstico pode também ser treinado para detetar o odor a cancro da tiróide na urina. Um cão treinado por cientistas norte-americanos foi capaz de detetar esta doença em pessoas cuja doença ainda não tinha sido diagnosticada. O cão, um pastor alemão chamado Frankie, acertou o diagnóstico em 88,2% dos casos, apenas através do odor da urina das 34 pessoas que participaram na experiência.

"Os médicos poderiam utilizar cães treinados para detetar a presença da doença numa fase precoce", comentou na altura Donald Bodenner, especialista em Endocrinologia oncológica da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Arkansas, principal autor do estudo.

De acordo com um outro estudo do Departamento de Urologia no Centro Clínico e de Investigação Humanitas, de Milão, os cães conseguem diagnosticar através do faro quase 100% dos casos de homens com cancro da próstata. Dois cães da raça pastor alemão cheiraram a urina de 900 homens, dos quais 360 já tinham sido diagnosticados com cancro da próstata. Um dos cães acertou no diagnóstico em 98,7% dos testes, o outro em 97,6%.

Veja ainda17 sintomas de cancro que os portugueses ignoram

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.