Cerca de 50% dos portugueses desconhece a sintomatologia do cancro do intesino, o que leva a Associação de Apoio ao Doente com Cancro Digestivo (Europacolon Portugal) a alertar a população para os principais sintomas e sensibilizar as mesmas para a importância do rastreio.

"Em Portugal, o cancro do intestino ou colorretal é o mais frequente e o mais mortal, tendo em conta ambos os sexos", garante Vítor Neves, presidente da Europacolon.

10 alimentos que aumentam o risco de cancro
10 alimentos que aumentam o risco de cancro
Ver artigo

"A progressão desta patologia é lenta e silenciosa, mas quando detetada a tempo tem cura em 90% dos casos. Assim, apelo a que todas as pessoas a partir dos 50 anos façam o rastreio", acrescenta o especialista.

Segundo as recomendações europeias, é prioritário o rastreio de cancro colorretal em pessoas entre os 50 e os 74 anos de idade, através da pesquisa de sangue oculto nas fezes, com uma periocidade de dois anos. "No caso em que o teste de sangue oculto é positivo, o diagnóstico deve prosseguir através da colonoscopia total, de imediato", frisa a associação.

O cancro do intestino (ou cancro colorretal) é um dos tipos de cancro mais comum nos homens e nas mulheres. Em Portugal morrem 11 pessoas por dia com esta doença, cerca de 4 mil pessoas por ano. A patologia surge maioritariamente a partir dos 50 anos, mas pode ocorrer em pessoas mais jovens.

Em Portugal, existem mais de 80 mil pacientes ativos, sendo que 50% da população desconhece os sintomas desta patologia.

Maioria dos casos começa com pequenas lesões

A maioria dos casos de cancro colorretal desenvolvem-se a partir de lesões benignas (pólipos) presentes no intestino grosso que evoluem gradualmente e que podem ser assintomáticas. Ainda assim, quando existem sintomas, estes são os sinais:

Luzes, câmara, ação. Sessão de fotos devolve auto-estima a mulheres com cancro
Luzes, câmara, ação. Sessão de fotos devolve auto-estima a mulheres com cancro
Ver artigo

- Alteração persistente dos hábitos intestinais, com o aparecimento de prisão de ventre ou diarreia (ou uma alternância das duas), sem razão aparente e/ou fezes muito escuras

- Perda de sangue pelo reto/ânus ou misturado nas fezes sem irritação, dor ou prurido

- Sensação de que o intestino não esvazia completamente

- Dor forte ou desconforto abdominal, sem explicação aparente

- Cansaço e emagrecimento sem razão aparente

"A progressão desta patologia é lenta e silenciosa, mas quando detetada a tempo tem cura em 90% dos casos", diz Vítor Neves.

Como prevenir?

- Dieta Equilibrada: Tenha uma dieta equilibrada, rica em fibra e inclua fruta fresca e vegetais (5 doses diárias, o que equivale aproximadamente a um consumo de 400grs/dia). Evite o consumo em excesso de calorias em especial de gordura animal. A ingestão de líquidos também é importante, sobretudo água.

Conhece alguém com cancro? Faça-lhe um grande um favor e não diga isto
Conhece alguém com cancro? Faça-lhe um grande um favor e não diga isto
Ver artigo

- Fitness / Peso: Faça exercício regularmente, de preferência diariamente para evitar o excesso de peso.

- Risco Familiar: Tente conhecer a história da sua família. Se alguns dos seus familiares tem ou teve cancro colo-rectal, consulte o seu médico.

As fases iniciais do cancro não causam dor e a progressão da doença é silenciosa.

O cancro colorretal, se detetado a tempo, tem cura em 90% dos casos e o diagnóstico precoce pode mesmo evitar a doença.

Para fazer o rastreio, contacte o seu médico assistente. Em caso de dúvidas, ligue para a Linha de Apoio da Europacolon Portugal – 800 200 199.

Os sintomas de cancro mais ignorados pelos portugueses

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.