Segundo Nuno Miranda, o cancro do pulmão foi o que mais mortes provocou, seguindo-se o carcinoma do cólon e reto, o da mama e o da próstata.

Estas são as 10 principais causas de morte em Portugal
Estas são as 10 principais causas de morte em Portugal
Ver artigo

Os dados de 2016 são os mais recentes sobre esta doença e vão ser agora analisados, adiantou o oncologista.

A taxa de sobrevivência ao cancro está a aumentar no mundo, segundo um estudo publicado esta terça-feira na revista “Lancet”, em que se assinala que o nível de vida nos países marca as hipóteses de sobreviver, sobretudo para as crianças.

No cancro do cérebro, a taxa de sobrevivência em países como a Dinamarca ou a Suécia atinge os 80%, enquanto no México e Brasil menos de 40% das crianças afectadas consegue sobreviver pelo menos cinco anos depois de diagnosticada a doença, o que reflete "a disponibilidade e a qualidade dos diagnósticos e dos tratamentos".

Sobrevivência em Portugal

Para Portugal, a taxa de sobrevivência no cancro do cólon situa-se perto dos 60%, enquanto a taxa de sobrevivência para o cancro da mama e a leucemia é cerca de 90%, números em linha com o que se passa nos Estados Unidos e em outros países europeus.

Os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia são os países com maiores taxas de sobrevivência, refere-se no estudo Concord 3, em que foram analisados os registos de 37,5 milhões de pacientes diagnosticados com cancro entre 2000 e 2014 em 71 países.

"O cancro mata mais de 100.000 crianças todos os anos, principalmente em países de rendimentos baixos ou médios, onde o acesso aos serviços de saúde é muitas vezes deficiente e o abandono dos tratamentos é um grande problema", consideram os investigadores.

O cancro do pâncreas continua a ser um dos mais letais, com a taxa de sobrevivência global entre 2010 e 2014 situada entre os 5% e os 15% e Portugal a registar sobrevivência entre 10% e 15%.

Quanto ao cancro do pulmão, registou-se uma taxa de sobrevivência média entre 10% e 20%, um intervalo em que Portugal também está. No estudo destaca-se também que o cancro do fígado, que tem uma taxa de sobrevivência entre os 5% e os 30%, com Portugal entre os 10% e os 19%.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.