Segundo uma nota divulgada pela tutela, "a medida tem caráter temporário e é uma recomendação do Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS), devido aos surtos de febre-amarela urbana em curso nesses dois países desde dezembro do ano passado".

A medida, lê-se no comunicado, é também preventiva para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que terão lugar no Rio de Janeiro entre agosto e setembro, e deverá permanecer em vigor até saírem novas recomendações da OMS.

"Os viajantes, delegações e atletas em trânsito por esses países devem apresentar o certificado com data de vacinação com, pelo menos, dez dias anteriores à viagem", segundo a nota.

Leia ainda: Os 12 vírus mais perigosos do mundo

"O Ministério da Saúde recomenda que, no atendimento de viajantes com sintomas de febre-amarela, os profissionais de saúde investiguem com cuidado o histórico de viagem para os dois países visando a identificação de casos suspeito e adoção de medidas oportunas de prevenção e controle", alertou o coordenador-geral de Vigilância e Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira.

Desde 05 de dezembro, quando começou a epidemia em Angola, até 10 de junho, a doença já provocou 345 mortes no país, segundo o mais recente relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), a que a Lusa teve hoje acesso.

A transmissão da doença é feita pela picada do mosquito (infetado) "aedes aegypti".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.