A pneumonia intersticial idiopática ou fibrose pulmonar idiopática cicatriza o tecido pulmonar e faz com que o órgão perca a sua elasticidade natural, aumentando as dificuldades em respirar. Muitos especialistas acreditam que a doença esteja subdiagnosticada por ser confundida com infeções comuns em fumadores, uma vez que os sintomas são sobretudo cansaço e falta de fôlego.

A nova esperança é um fármaco inovador inspirado nos anticorpos encontrados no sangue dos tubarões. A substância deverá ser testada em 2018 em seres humanos, escreve a BBC. Chama-se AD-115 e foi desenvolvida na Universidade La Trobe, em  Melbourne, na Austrália em conjunto com a empresa de biotecnologia AdAlta.

Os testes iniciais tiveram como alvo as células causadoras da fibrose, criando uma proteína humana que imita os anticorpos encontrados nos tubarões, explica Mick Foley, do Instituto de Ciência Molecular de La Trobe.

"A fibrose é o resultado final de muitas feridas e lesões diferentes e esta molécula pode matar as células que causam a fibrose", revelou em declarações à BBC.

Segundo os cientistas, nenhum tubarão foi abatido no processo de desenvolvimento da substância, já que foi extraída apenas uma amostra simples de sangue de um tubarão da família Orectolobidae de um Aquário de Melbourne.

Veja ainda: 10 mutações genéticas que lhe dão autênticos superpoderes

Saiba mais: 15 doenças que ainda não têm cura

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.