As autoridades alemãs desejam instaurar "proibições de saída" em zonas geográficas limitadas para os habitantes, que regressariam ao confinamento depois da deteção de um novo foco de COVID-19, de acordo com o projeto do qual a AFP obteve uma cópia.

A Alemanha regista um total de 199.726 casos de infeção pelo novo coronavírus desde o início da pandemia. De acordo com o Instituto Robert Koch (RKI), a COVID-19 já provocou 9.071 mortes na Alemanha, a maior parte nos estados da Baviera, Bade-Vurtemberga e Renânia do Norte-Vestefália. São também estas as três regiões com o maior número de casos de contágio, com 49.427, 36.162 e 45.233 respetivamente. 

Coronavírus: como passou de animais para humanos?
Coronavírus: como passou de animais para humanos?
Ver artigo

Já em França, o decreto que torna obrigatório o uso de máscara em locais públicos fechados "entrará em vigor na próxima semana", anunciou o primeiro-ministro Jean Castex no Senado. "A previsão para a entrada em vigor das determinações era 1 de agosto", recordou o primeiro-ministro. "Mas a data era tardia. O decreto entrará em vigor na próxima semana", afirmou, durante um discurso de política geral aos senadores.

"O uso da máscara constitui, juntamente com as medidas de distanciamento, uma medida de prevenção e proteção eficaz", disse.

A 14 de julho, o presidente Emmanuel Macron anunciou que o uso de máscara seria obrigatório nos locais públicos fechados a partir de 1 de agosto, mas grande parte da sociedade exigia a aplicação da norma o mais rápido possível.

Na região de Mayenne, oeste do país, o uso da máscara é obrigatório em seis localidades devido ao aumento dos casos de COVID-19, que já superam o rácio de 50,1 por 100.000 habitantes.

O ministro da Saúde, Olivier Véran, advertiu que Paris e a sua periferia mostram alguns sinais de que a epidemia volta a ganhar força e pediu aos cidadãos que tenham cuidado.

A França regista mais de 30.000 mortes provocadas pelo novo coronavírus e manteve o confinamento durante dois meses, até meados de maio.

Os sintomas menos conhecidos da COVID-19 que não deve ignorar
Os sintomas menos conhecidos da COVID-19 que não deve ignorar
Ver artigo

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 579 mil mortos e infetou mais de 13,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Os Estados Unidos são o país com mais mortos (136.900) e mais casos de infeção confirmados (mais de 3,46 milhões).

Seguem-se Brasil (75.366 mortos, mais de 1,96 milhões de casos), Reino Unido (45.053 mortos, quase 292 mil casos), México (36.327 mortos, mais de 311 mil casos), Itália (34.997 mortos e mais de 243 mil casos), França (30.120 mortos, cerca de 209 mil casos) e Espanha (28.413 mortos, mais de 257 mil casos).

Em Portugal, morreram 1.676 pessoas das 47.426 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Vídeo - O ar dentro de um avião: como são eliminados vírus e bactérias?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.