Em reunião recente com o secretário regional da Saúde, hoje lembrada em nota de imprensa, o SINTAP exigiu que os trabalhadores do Serviço Regional de Saúde com contrato individual de trabalho, e com funções correspondentes às desempenhadas por trabalhadores das carreiras gerais, possam usufruir de 35 horas de trabalho semanal e do direito à carreira, à semelhança dos contratados do continente e da Madeira.

A força sindical pede que a reposição das 35 horas semanais de trabalho seja feita já a partir de 01 de setembro e não em janeiro de 2019, como foi sugerido pelo executivo açoriano, uma proposta que dizem ser incompreensível, já que o sindicato tinha apresentado uma proposta de acordo “há cerca de um ano, de modo a que fosse aplicada também em 01 de julho de 2018.”

Em causa está, acredita o sindicato, uma situação de “discriminação” e “injustiça” de que são vítimas os trabalhadores dos hospitais públicos de Angra do Heroísmo, Horta e Ponta Delgada e, por isso, considera “urgente a consagração prática do princípio da igualdade de tratamento entre trabalhadores”.

O SINTAP diz-se disponível para a assinatura imediata do Acordo Coletivo de Trabalho e reclama, junto da secretaria regional da Saúde, que a assinatura do acordo seja feita “no mais curto espaço de tempo".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.