Costuma-se dizer: é o passaporte para a alma. E é mesmo! Sinatra, por exemplo, cantava com a alma na voz. Mais do que ninguém, simbolizava o feitiço da palavra cantada que irrompe gerações e se eterniza na memória coletiva. A voz, como era conhecido, dominava como poucos, o timbre, a afinação, o fôlego e o ritmo.  E, a voz, lato sensu, mesmo quando é gritada, chorada, enervada, até doente é sempre um extraordinário instrumento, capaz de criar melodias e traduzir a emoção humana em sons.  A do músico norte-americano era espantosa. Chegava a enfeitiçar de tão bela e harmoniosa.

A voz humana é um instrumento dinâmico. Muda em função do estado emocional do indivíduo.  Quando estamos contentes, por exemplo, temos um tom de voz diferente, se comparado com aquele em que estamos tristes ou nervosos. Cada pessoa tem a certeza de que, mesmo havendo tons semelhantes, e há, nenhum é exatamente igual. A voz de cada indivíduo é exclusiva, ainda que produzida da mesma maneira: pela vibração do ar que é libertado dos pulmões pelo diafragma e que passa pelas cordas vocais e, depois é modificado pela boca, lábios e língua. Tem uma identidade própria.

Revela, por exemplo, o sexo, idade, origem geográfica, nível de educação e tantas outras coisas. Nunca deve ser subestimada. Mostra força. Projeta a personalidade e, também, as nossas incertezas. Está associada à fala e pode variar quanto à intensidade, altura, inflexão, ressonância, articulação e muitas outras características. Os estudos mais recentes revelam um dado curioso: cada pessoa fala em média 16 mil palavras por dia!

A voz é uma característica humana intimamente relacionada com a comunicação. O uso inadequado da mesma pode conduzir a várias alterações do aparelho vocal e resultar em disfonias, ou seja, na degradação da qualidade vocal. Essa dificuldade impede a produção natural da voz, manifestando-se, por norma, com grande impacto no quotidiano de todos nós. Pode ter diversas causas, por exemplo:

  • Tumores Abuso vocal
  • Paralisia das cordas vocais
  • Nódulos
  • Pólipos
  • Laringite
  • Abuso vocal
  • Alterações psicoemocionais

E manifestar-se de diferentes formas:

  • Roquidão
  • Cansaço ao falar
  • Dificuldade em manter a voz
  • Variações na frequência habitual
  • Falta de volume e projeção
  • Perda da eficiência vocal
  • Pouca resistência ao falar

A prevenção é a melhor estratégia para manter uma voz saudável. Há coisas simples que ajudam a cuidar da voz e a evitar o esforço vocal:

1- Não fumar - O tabaco é inimigo das cordas vocais e pode potenciar o aparecimento de tumores:

2- Não gritar - Forçar a voz, elevando-a ao extremo pode causar lesões;

3- Hidratar - Beber 1 litro e meio de água por dia à temperatura ambiente é suficiente. As cordas vocais precisam de permanente  hidratação:

4- Não abusar do café - Café em excesso, assim como o álcool e as bebidas gaseificadas não contribuem para a saúde vocal;

5- Descanse - A falta de sono prejudica a voz. Se o seu trabalho obriga a puxar muito pelas cordas vocais, tente descansar a voz em algums momentos do dia. O stress é inimigo da voz;

6  Trate a azia - O refluxo pode danificar o esófago e a laringe, causando dores de  garganta, roquidão e outros problemas mais graves. Procure um médico especialista se a azia persistir;

7- Trate a tosse - A tosse irrita as cordas vocais. Quanto mais cedo a tratar melhor;

8- Postura corporal - Quanto mais direitos estiveram os músculos do pescoço melhores condições terá para projetar a sua voz. Sente-se direito na cadeira e respire profundamente sempre que estiver a falar. Alguns distúrbios da voz podem ser simples no  início, mas, mais tarde, revelam-se preocupantes e difíceis de tratar;

9- Evite a exposição ao ar condicionado - A variação da temperatura produz um efeito bastante negativo para a saúde vocal.

A avaliação

A rouquidão persistente, por exemplo, revela que há algo de errado ao nível da laringe e obriga a uma consulta de avaliação. Um problema tantas vezes desvalorizado por pais e professores, como se a rouquidão infantil fosse normal. Não é, em muitos dos casos.  Se uma criança apresenta uma alteração vocal durante mais do que duas semanas terá de ser observado por um especialista.

A consulta de avaliação é transversal a todas as faixas etárias. Serve para todas as pessoas que apresentam características compatíveis com quadros de fadiga vocal, disfonia ou a necessidade de otimizar as suas capacidades de comunicação verbal.

A terapia da fala pode ser a solução.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.