O plano foi apresentado ontem publicamente, com a presença do secretário de Estado do Turismo, Pedro de Almeida, e do presidente do Turismo de Lisboa, Pedro Pinto. O objectivo é crescer 50% em receitas e 30% em ocupação hoteleira nos próximos três anos, aproveitando a realização do Euro 2004.
Partindo da capital como protagonista, a área promovida vai de Tróia a Pombal, juntando sete “marcas” (Lisboa, Estoril/Sintra, Leiria/Fátima, Costa Azul, Oeste, Ribatejo e Templários) e oito “produtos” (turismo de negócios, city breaks, golfe, turismo religioso, touring, cruzeiros, sol e mar e turismo activo) que se complementam entre si. Os mercados principais da promoção são Espanha, França, Inglaterra, Alemanha e Itália. Mas a ideia é ir mais longe e levar o nome de Portugal a grandes feiras de turismo e workshops especializados em todo o mundo.
Na capital, uma das novidades será a transformação do Terreiro do Paço num local de animação, esplanadas e equipamentos. Também estão previstas a coordenação e a divulgação de diversos eventos como festas, festivais, feiras, etc. em toda a área promocional de Lisboa.
A promoção também pode ser feita em termos gastronómicos. As sugestões apresentadas pelas Regiões de Turismo envolvidas começam por um moscatel de Setúbal, passam pelos queijos de Azeitão e pelos enchidos saloios, o pão com chouriço e peixinhos da horta. Passam depois à sopa de pedra em Almeirim, ao leitão de Leiria, à morcela de arroz, acompanhados pelos bons vinhos de Alenquer, de Colares ou de Palmela, entre outros. A prova pode ainda prosseguir para a doçaria, que foi buscar aos conventos as suas maiores riquezas. Queijadas de Sintra, tortas de Azeitão, moinhos da Amadora, pasteis de feijão e de Belém, cavacas, doces de ovos e de amêndoa fazem o final feliz das refeições a oferecer aos turistas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.