A Padaria Libanesa é o negócio familiar que se apresenta como revelador de um novo mundo de sabores, de graduações de doce-salgado e texturas entre o crunchy, o crumbly, e o sticky, e sobretudo para mudar o paradigma em relação à cozinha desta região do mundo.

Jad Harb abriu a Padaria Libanesa com a sua mãe, Bassima e com o chefe de cozinha libanês Joussef Youssef, que ajudou a preparar o menu e a idealizar os dos pratos.

Jad nasceu no Líbano, em Beirute, donde provém a sua família. Lá viveu e trabalhou, antes da família chegar a Portugal em agosto de 2020. Seis meses depois começaram a sua padaria, no antigo espaço de uma boulangerie francesa, na Rua do Sacramento a Alfama, na porta com o número 58. Do antigo estabelecimento, Jad exibe uma ardósia que diz "bienvenue”. Está dado o mote.

Em Lisboa, a Padaria Libanesa é um mundo de aromas e sabores do Médio Oriente
créditos: Padaria Libanesa

Pães, pastéis e bolos quentes e frios, doces e salgados, tudo são sabores do Médio Oriente, sem que falte o café com cardamomo (1 euro), e o aroma de pasta de tâmaras e água de rosas a sair do forno.

De resto, encontramos “pequenas joias”, para conhecer e, sobretudo, oferecer: o  Kaaki  (7 euros)  é um pão do Médio Oriente com crosta de sésamo, recheado com queijo e manteiga; o Simit (1,85 euros), que nos faz lembrar um bagel, mas que conta muito mais história do que isso. É fermentado em água de tâmaras e envolvido em sésamo, para um toque perfeito.

Para quem quer um almoço diferente, quente e cheio de cor, existem inúmeras opções: os Manouches, de uma versatilidade incrível, consistem em pão ázimo, aberto ou fechado, e são um mundo de opções — Manakeesh de espinafres (6 euros), Manakeesh de cebolas caramelizadas (5 euros), Manakeesh de frango Taouk (8 euros) ou Manakeesh Sujuk (8 euros), com salsichas grelhadas e refogadas em molho de tomate.

As alternativas não ficam por aqui. Na Padaria, também encontramos outros pratos como a Shakshuka (7 euros): ovos cozinhados em molho de tomate com cobertura de queijo feta, a Carne no barro (7 euros) ou o Feta assado (6 euros).

Para acabar, nada como uma boa sobremesa ao estilo libanês, com a já conhecida Baklava (1,8 euros), feita com massa filo, manteiga Ghee e água de rosas; o Knefe (4 euros), torta de queijo doce com crosta de semolina e calda; ou o Salame de chocolate libanês (1,5 euros), com damasco seco, tâmaras e pistáchio.

Padaria Libanesa
créditos: Padaria Libanesa

Sobre os próximos passos, Jad diz que "não faz grandes projetos". Concentra-se, afirma, "em agradar aos seus clientes". Sabe que são "o pão da sua padaria", e preocupa-se sobretudo em ver a sua satisfação, quando saem do seu restaurante de sacos de papel kraft na mão. Além do trabalho, conta que gosta de "explorar Lisboa, das ruas mais antigas às mais novas, conhecer a cidade e perder-se pelos seus vários mercados". Mas tem pouco tempo.

As propostas da pastelaria Libanesa estão disponíveis através da UberEats, Glovo ou BoltFoods.

A Padaria Libanesa está aberta todos os dias, exceto segundas-feiras, das 10h00 às 23h00 da noite.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.