Todos os homens se sentem mais seguros quando estão satisfeitos com o seu corpo. Por isso, dedicam horas e horas aos treinos com pesos no ginásio, mas nem sempre o corpo reage da forma que desejam. E, muitas vezes, surge a frustração... Por outro lado, há casos em que uma determinada parte do corpo pode estar menos  desenvolvida devido a um acidente ou doença. A cirurgia com aplicação de próteses de silicone pode resolver todas estas questões, dando mais volume ou equilibrando o tamanho dos músculos de forma harmoniosa. A cirurgiã plástica Fátima Baptista Fernandes explica como neste artigo.

As próteses de silicone

Hoje em dia, as próteses colocadas são feitas em silicone texturizado coesivo e com superfície de poliuretano, pelo que não se coloca a hipótese de rejeição. No entanto, «em todas as cirurgias que se coloca material externo no interior de músculos ou aponevroses (fascia que recobre os músculos), o doente deve ser instruído para evitar traumatismos no local, principalmente através, por exemplo, da prática de  desportos violentos, pois pode haver o risco de extrusão [expulsão] do material implantado», refere Fátima Baptista Fernandes.

Como explica a cirurgiã plástica, «todas as cirurgias são feitas com anestesia geral e  com internamento de, pelo menos, dois dias com o objetivo de se evitarem hematomas  ou qualquer complicação que resulte de movimentos exagerados». As próteses de silicone coesivo têm medidas standard com o formato de cada zona que se pretende aumentar. Ainda assim, como refere a especialista, «em certos casos, pode-se mandar fazer uma prótese por molde e medida, para se adaptar melhor ao local onde se vai implantar».

Implantes nos glúteos

Esta cirurgia demora cerca de uma hora com recurso a anestesia geral. É feita uma incisão na região inter-glútea, de seguida desloca-se os músculos gluteus  maximus através da aponevrose inferior, a membrana que os envolve, e introduz-se a prótese por baixo do músculo numa loca (ou cavidade) aberta propositadamente. De seguida, a região tem de ser obrigatoriamente imobilizada, sendo utilizada uma ligadura plástica com cola.

Cuidados pós-operatórios

- O repouso tem de ser feito em decúbito ventral (de barriga para baixo).

- Nos dias seguintes, pode haver algumas dores a nível do nervo ciático, que pode ser tratada com analgésicos.

- O desporto está interdito nos primeiros dois meses.

- Os pontos são retirados passados 15 dias.

- Deve usar-se uma cinta de compressão durante o primeiro mês.

- Como a cicatriz fica localizada no sulco internadegueiro, é essencial o uso constante de cremes cicatrizantes.

Possíveis riscos e preço

O único risco é a formação de hematoma, que deve ser prevenido com total imobilização. A prática de desporto aumenta o risco de hemorragias internas. O preço total ronda, em média, os 5.000 €, um valor que pode variar em função da clínica selecionada e/ou do profissional contratado.

Veja na página seguinte: Implantes nos peitorais

Implantes nos peitorais

A cirurgia demora duas horas. As incisões são feitas através do mamilo (peri-areolar) ou na parte lateral do tórax, junto ao rebordo do peitoral. A prótese é colocada por baixo do grande peitoral, sobre a grelha costal. É colocada uma ligadura compressiva com cola que se deve manter nas 24 horas seguintes.

Cuidados pós-operatórios

- A ligadura compressiva deve ser usada nos primeiros cinco dias.

- É usada também uma faixa especial de contenção que ajuda a manter a prótese no sítio e a evitar hematomas.

- Deve-se esperar um a dois meses até retomar a prática de exercício físico devido ao risco de complicações.

- É receitada medicação analgésica e antibiótica.

Possíveis riscos e preço

Formação de hematomas ou hemorragias internas, bem como a formação de seroma-líquido em torno da prótese. Quando isto acontece, os hematomas e os seromas devem ser drenados e a zona deve ser imediatamente comprimida para não se refazerem. O preço total ronda, em média, os 5.000 €, um valor que pode variar em função da clínica selecionada e/ou do profissional contratado.

Veja na página seguinte: Implantes nos gémeos

Implantes nos gémeos

A intervenção demora cerca de uma hora. A incisão é feita na prega posterior do joelho, na região popliteia. De seguida, desloca-se por baixo os músculos gémeos, nas suas porções média e lateral, e introduz-se a prótese na loca (ou cavidade) criada propositadamente. Esta cavidade tem o tamanho indicado para a prótese, pelo que não há hipóteses de deslocamento. A região é imobilizada e o paciente deve permanecer em repouso com os membros elevados.

Cuidados pós-operatórios

- O repouso deve ser feito com os membros inferiores elevados.

- Devem ser usadas meias elásticas durante o primeiro mês.

- São receitados medicamentos analgésicos e antibióticos.

- O internamento deve durar cerca de dois dias e os pontos são retirados passados 10 dias da intervenção.

- Devem evitar-se movimentos bruscos e a prática de exercício físico nos primeiros dois meses.

Possíveis riscos e preço

O risco reside na formação de hematomas, que se evita com a contenção elástica e imobilização. Podem ocorrer alterações ao nível da sensibilidade bem como a formação  de seroma, líquido que se cria em torno do implante. O seroma pode reaparecer com frequência e pode implicar o uso de um dreno aspirativo durante alguns dias. O preço médio total desta intervenção ronda os 4.500 €.

Veja na página seguinte: Implantes nos bíceps

Implantes nos bíceps

Muito procurada, esta intervenção demora cerca de uma hora. A incisão é feita na vertical, na zona da axila, e introduz-se a prótese por baixo do bíceps e do músculo córaco-braquial, numa cavidade criada propositadamente para o efeito. De seguida, a zona é imobilizada. O internamento deve prolongar-se por dois dias.

Cuidados pós-operatórios

- Exige-se o uso de uma manga elástica durante um mês.

- É essencial ter cuidado com os movimentos, ainda que não se deva imobilizar o braço por completo devido ao risco de atrofia muscular.

- Deve-se tomar medicação analgésica e antibiótica.

Possíveis riscos e preço

A lista de possíveis riscos inclui a formação de hematomas, prevenível com o uso de contenção elástica e evitando esforços e movimentos bruscos, e formação de seromas, líquido transparente que se acumula à volta do implante. O preço médio total desta intervenção ronda igualmente os 4.500 €.

Veja na página seguinte: Implantes nos ombros

Implantes nos ombros

A intervenção demora cerca de uma hora e a cirurgia dura cerca de uma hora. A incisão é feita na axila e introduz-se a prótese por baixo do músculo deltóide. O ombro é imobilizado juntamente com parte das costas e do peito. O internamento deve durar até dois dias. Os pontos são retirados após 15 dias.

Cuidados pós-operatórios

- Evitar movimentos e carregamento de pesos.

- Só se pode fazer exercício físico depois do segundo mês.

- Recomenda-se a toma de medicação analgésica e antibiótica.

Possíveis riscos e preço 

Perda de sensibilidade na região, ainda que temporária, a par do surgimento de hematomas, são algumas das consequências da intervenção mais comuns. O preço médio de um procedimento deste tipo ronda os 4.500 €.

Texto: Ana Catarina Alberto com Fátima Baptista Fernandes (cirurgiã plástica)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.