Um novo estudo da Garnier USA revelou que, em média, as mulheres usaram a coloração em casa para pintar os seus cabelos durante a quarentena.

Oitenta e cinco por cento disseram que pintaram o cabelo para cobrir os brancos, e mais da metade das mulheres entrevistadas disseram que decidiram pintar o cabelo com uma cor forte porque, já que tinham de ficar em casa por causa da pandemia, parecia ser uma boa oportunidade fazê-lo nesta altura.

De acordo com o estudo, foram usadas várias cores arrojadas durante este período, como loiro prateado, azul petróleo e muito rosa entre as que mais se destacaram.

O estudo, que investigou os hábitos de coloração de cabelo de 2.000 mulheres americanas com 18 anos ou mais, revelou ainda que uma em cada três mulheres tingiu o cabelo pela primeira vez em casa durante a quarentena e, sem surpresa, recorreu ao Instagram (30 %) ou à internet (29%) para saber como fazer.

Outras conclusões referem que a mulher americana sente que envelheceu quase quatro anos ao longo de 2020 devido ao stresse da pandemia. Esse stresse adicional manifestou-se de várias maneiras, incluindo o aparecimento de novos cabelos brancos, onde quase metade das mulheres entrevistadas (42%) relataram ter descoberto novos cabelos grisalhos durante a quarentena.

Na realidade, mais da metade das mulheres (52,32%) concordaram que ficaram grisalhas mais rapidamente durante a quarentena do que ficariam noutra altura. Metade das mulheres entrevistadas (50,37%) admitiu que fez coloração em casa essencialmente para tapar os brancos.

cabelos
créditos: Unsplash

Por que e como as mulheres escolheram pintar o cabelo em casa durante a quarentena também variou

Com as mulheres a tentar manter algum senso de normalidade com a sua aparência durante os tempos de incerteza, estas usaram os métodos necessários para ter uma aparência mais "fresca".

Outro dos motivos para pintar o cabelo prendeu-se com as raízes longas (17,86%) e desbotamento da cor (15,36%). Uma em cada cinco mulheres também relatou que pintou o cabelo durante a quarentena para fazer uma mudança no visual.

Quatro em cada cinco mulheres tingiram o cabelo sozinhas pela primeira vez durante a quarentena (80%). Desde o seu início, mais da metade das mulheres (88%) afirmaram ter tingido o cabelo em casa várias vezes (mais de uma vez).

Uma em cada três mulheres (31%) tingiu o cabelo pela primeira vez após 3 a 4 semanas em casa; cerca de um quarto (25,04%) após 5 a 6 semanas e um quinto (19,08%) das mulheres resistiu até 7 e 8 semanas.

A quarentena também permitiu que as mulheres experimentassem outras cores e tons que de outra forma provavelmente não teriam arriscado. Quase metade das entrevistadas (42,7%) relatou que experimentou uma nova marca de coloração de cabelo em casa, e cerca de um terço das mulheres (37,2%) relatou que arriscou numa cor mais arrojada pelo facto de que estavam fechadas em casa.

Com muitas mulheres a pintar o cabelo pela primeira vez ou à procura de tons fora das suas escolhas habituais durante a quarentena, será interessante ver como o comportamento da cor do cabelo continuará a mudar quando a vida voltar ao "normal".

Para responder a esta questão e segundo o estudo, a maioria pretende manter a cor dos cabelos em tons mais tradicionais como castanho (25,27%), preto (20,65%), loiro (10,98%) e vermelho (8,76%).

Mais de dois terços (66,75%) planeia continuar a pintar o cabelo em casa, com uma em cada três (31,99%) a demonstrar intenção de o fazer exclusivamente em casa.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.