A Alfândega do Porto encerrou hoje as suas portas e com ela ficou para trás mais uma edição do Portugal Fashion, por onde passaram inúmeros designers portugueses, marcas e ainda designers internacionais, mas antes de se apagarem as luzes de vez, mostramos-lhe tudo o que aconteceu.

O dia começou cedo com o desfile de Marques/Almeida na Casa Serralves, onde apresentaram as suas propostas para a primavera/verão 2020. A coleção urbana, genuína e rebelde reflecte as necessidades do dia a dia daqueles que se revem no que é real e que vai de encontro ao que os ‘cool kids’ gostam de vestir.

De regresso à Alfândega foi a vez de os mais pequenos pisarem a passerelle e mostrarem aos adultos, quais as peças que eles precisam e querem ter no armário para a próxima estação.

Alexandra Moura mostrou ‘Gadidae’, nome atribuído à família do bacalhau e o qual serviu de inspiração para esta coleção. As peças são fortemente influenciadas pela silhueta e detalhes inspirados no excesso de bolsos usados nos coletes e nos encaixes que reforçam as calças para trabalhos mais pesados.

Seguiu-se MEAM e desta vez a coleção ficou marcada pelas estampas de flores, nomeadamente as papoilas, com uma paleta de cores onde se destacaram as cores fortes e vibrantes como o vermelho, o amarelo, o azul e também o verde.

Pedro Pedro apresentou a sua parceria com a GALP, e revelou as novas fardas que desenvolveram em conjunto. A paleta de cores manteve-se nos cinzas, laranjas, cremes e denim. Uma coleção jovem, cool e muito moderna.

Seguiu-se a coleção da marca Concreto, que apostou nos estampados e padrões para dar vida e mais cor à próxima estação. A marca existe desde os anos 90 e surgiu a partir de uma importante fábrica de malhas do país.

Ao cair da noite foi a vez de Susana Bettencourt apresentar a sua coleção inspirada nas malhas. A coleção ‘Super Humano – Hora de mudar’ é uma homenagem a todos os seres humanos que vivem nesta época, onde o relógio corre mais rápido que as horas do dia.

Tal como as crianças, também as marcas de calçado voltaram a ter destaque em mas uma edição. Desta vez Eureka, Fly London, Gladz, J.Reynaldo, MLV Portuguese Shoes, Nobrand, Rufel e The Baron’s Cage, apresentaram as suas propostas para a próxima estação.

Maria Gambina subiu à passerelle para apresentar a sua coleção com referências ao documentário ‘Novos Baianos Futebol Clube’, que materializa o encontro entre o futebol e a música numa atitude disruptiva mas sofisticada. A silhueta é dominantemente reta, mas torna-se dinâmica com machos, pregas e plissados em camadas. Peças em macramé evocam a identidade da banda, o sentido da liberdade e comunidade, paz e comunhão com a natureza.

A noite terminou com o esperado desfile de Alves/Gonçalves que apresentaram uma coleção repleta de elegância, onde os tons predominantes foram os terra, os pretos, os laranjas, os brancos, os azuis, os vermelhos e ainda os metalizados. O uso do latéx e dos plissados foram ainda um dos focos principais desta coleção.

E assim terminou mais uma edição do Portugal Fashion, quatro dias repletos de desfiles e muitas tendências que passaram pela Alfândega do Porto e também pela Tipografia do Conto e Casa Serralves. Se perdeu alguma coisa desta 45ª edição, reveja tudo o que se passou aqui!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.