Micropigmentação estética. É assim que se denomina a introdução de grânulos de pigmento de diferentes tons no tecido dérmico, com a ajuda de umas agulhas muito finas, que estão ligadas a um dermógrafo responsável por criar movimentos de vaivém necessários à deposição do pigmento na pele.

Filomena Bernardo, diplomada pela Escola Superior de Imagem de Barcelona e especialista em dermopigentação há cerca de 14 anos, explica em entrevista à Ultimate Beauty como se processa a aplicação desta técnica.

Em que consiste a micropigmentação?

Tal como o nome indica, a micropigmentação consiste numa micro introdução de pigmentos na pele, através de uma técnica inócua e praticamente indolor.

Tem mais aplicações para além das estéticas?

A micropigmentação não pode ser vista apenas como uma maquilhagem permanente, uma vez que também tem uma vertente médica e paramédica, servindo para corrigir ou alterar defeitos físicos.

Esta prática tem outras aplicações, conhecidas como aplicações paramédicas ou técnicas complementares à cirurgia reparadora, entre elas, a reconstrução da auréola mamária, a dissimulação de cicatrizes ou a densificação capilar.

A maquilhagem permanente é mesmo permanente?

Não dura para toda a vida. Depois dos pigmentos serem aplicados, as cores começam a desvanecer lenta e gradualmente, devido à renovação celular e à absorção do pigmento por parte do próprio organismo.

Este desvanecimento é quase imperceptível e depende do tipo de pele. Se a pele estiver envelhecida e seca, o período de degradação do pigmento pode durar de cinco a seis anos. Se, por outro lado, a pele for jovem ou oleosa, a maquilhagem dura de dois a três anos.

É uma técnica dolorosa?

É praticamente indolor, uma vez que a implantação do pigmento é muito superficial. Em caso de maior sensibilidade do paciente, aplica-se previamente um anestésico tópico.

Os homens recorrem a esta técnica?

Sim, tanto para a densificação capilar, em casos de alopecia, como para a dissimulação de cicatrizes ou redefinição da auréola mamária.

Como é que se realiza?

Antes de se iniciar o tratamento, é feita uma consulta de assessoria com o profissional de dermopigentação para estabelecer a forma ou método que mais favorece o paciente. A cor a utilizar também é pensada, tendo em conta o gosto, a cor do cabelo, o tom de pele e dos olhos do paciente.

Este processo é realizado com umas agulhas finíssimas, com as quais se introduz o pigmento através do epitélio. Todos os utensílios são esterilizados, descartáveis e de uso único, respeitando as condições de higiene e segurança.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.